Número total de visualizações de página

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O orçamento 2011 do Município de Portimão e o excelente pai de família


Aquando o inicio da discussão do orçamento do Município de Portimão para o ano vindouro, o Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Portimão, fez uma apresentação o tão minuciosa quanto baste das opções do plano para justificar um orçamento de quase 192 Milhões de euros, um endividamento bancário superior a 90 Milhões de euros e subsídios de cerca de 60 Milhões de euros para as empresas municipais justificando-o como um orçamento fulcral e necessário equiparando-o a uma gestão de um excelente pai de família.


Pois na minha modesta opinião e como chefe de família, entendo que um excelente chefe de família não empobrece o seu agregado familiar, que um excelente chefe de família não coloca a sua família numa posição de insolvência/falência, que um excelente chefe de família não hipoteca o futuro dos seus filhos e dos seus netos como se afere no terrível endividamento geracional provocado pela gestão do executivo socialista, que um excelente chefe de família não penhora a casa morada de família como se pretende fazer com a criação do fundo imobiliário, que um excelente chefe de família pratica e ensina o seu agregado familiar a viver dentro das suas reais possibilidades, que para um excelente chefe de família não existem filhos nem enteados permitindo a existências de concursos públicos para as empresas municipais e não contratações ad doc para os detentores do cartão rosa ou para os filhos dos amigos, que um excelente chefe de família cumpre os seus compromissos com os credores ensinando boas práticas ao seu agregado familiar e descendência, que um excelente chefe de família dá uma oportunidade aos de casa não optando maioritariamente por ajustes directos a empresas fora do seu agregado familiar, que um excelente chefe de família permite que as empresas do seu agregado familiar concorram em pé de igualdade, que um excelente chefe de família não sobrecarrega o seu agregado familiar com impostos e taxas máximas, que um excelente chefe de família não favorece o “grande” comércio em detrimento do comércio do seu agregado familiar, que um excelente chefe de família seja franco e sincero para com os seus.


Mas isso..é somente para mim, o que não deverá ser um excelente chefe de família.

Luís Miguel Martins

1 comentário:

  1. Caro Sr. Luís Miguel Martins,
    Estivemos nesta última reunião da Assembleia Municipal de Portimão.
    Vimos este episódio.

    Foi, senão o ponto alto, foi um dos pontos altos.

    Do ponto de vista da audiência, do lado do público, quando o Senhor disse aquilo, criou-se um quadro mental claríssimo, de um pai de família que se sobreendividou, para a compra das férias nas Caraíbas, para a roupa de marca, para o plasma, para o carro para dar nas vistas, etc…

    Não consegui conter na altura o sorriso.
    É que não é vulgar, ver-se pegar no argumento do oponente e virá-lo contra ele.

    E da perspectiva do público, foi notório o embaraço do outro lado da bancada.
    Ah foi!

    Sr. Martins,
    Foi para aí escrito num determinado sítio, que aquele momento foi um rasgo à “ponta de lança”.
    O Jardel nos bons velhos tempos.

    Foi bem esgalhado!

    Um bom Natal para si e para os seus.

    João Pires
    Portimão Sempre

    ResponderEliminar

Por motivos que se prendem com a falta de ligação entre os comentários e os Post colocados e outros, doravante todos os comentários serão previamente considerados.