Número total de visualizações de página

terça-feira, 9 de junho de 2015

Temporariamente Encerrado



 
Luís Miguel Martins, Administrador do Blogue O Confessionário de Portimão, informa que o mesmo estará encerrado, temporariamente.
 
Cumprimentos e saudações Portimonenses a todo(a)s.
 
Viva Portimão.
 
Viva o Algarve.
 

Luís Miguel Martins

terça-feira, 5 de maio de 2015

One city, two rules / Uma cidade, duas regras



One city, two rules

A city that wants to assert itself as a major center of tourism, has to be organized, disciplined, clean, treated urban facilities, but above all, treat all citizens equally.

The example of photography, is not necessarily a case of discrimination, but rather a case of disorganization that suffers in Portimão.
 
 
 
Uma cidade, duas regras
 
Uma cidade que se quer afirmar como um grande centro de Turismo, tem que ser organizada, disciplinada, limpa, com equipamentos urbanos tratados, mas acima de tudo, tratar todos os cidadãos de forma igual.
O exemplo da fotografia, não é necessariamente um caso de discriminação, mas antes um caso de desorganização que padece em Portimão.
 
 

 

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Violentíssimo puxão de orelhas por parte do Tribunal de Contas



Tribunal de Contas, no seu Acórdão n.º 5 de 2015, proferido em 03 de Fevereiro de 2015, pela 1.º Secção, dá um violentíssimo puxão de orelhas ao Município de Portimão, indeferindo o Recurso e exigindo que se afiram as devidas responsabilidades.
 
 
Segundo o tribunal de Contas:
 
a) "desrespeitam manifestamente o sistema de normalização contabilística, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 158/2009, de 13.07, e, mui particularmente, a norma contabilística e de Relato Financeiro sobre o Rédito, a N.C.R.F.-20...";

 

b) "são passíveis de censura os pareceres emitidos por ROC, ao admitirem, sem reparo, a inclusão na rubrica “prestação de serviços” das verbas transferidas na sequência de contratos-programa celebrados entre a “Portimão Urbis, E.M.,S.A.”, e o Município de Portimão...";

 
c) "mal se compreende que o ROC, no âmbito de pareceres referentes aos Relatórios e Contas dos exercícios económicos reportados aos anos 2012, 2011 e 2012, tenha sustentado que “a contabilização dos contratos-programa celebrados entre a “Portimão Urbis, E.M.,S.A.” e o Município de ... ";


quarta-feira, 29 de abril de 2015

Perdemos hoje um ilustre e distinto Portimonense.




A lei da vida tem destas coisas...
 
 Num momento fazemos uma publicação, um comentário com um sorriso na cara, 15 minutos depois somos surpreendidos, com a noticia que um dos nossos, nos deixou.
Figura incontornável do concelho e do Município de Portimão. Colega afável, atento, diligente e presente. Cidadão exemplar.
É com muita tristeza que dedico estas palavras ao meu ex-colega Francisco Florêncio.
Que este singelo texto, sirva igualmente para encetar as mais sinceras condolências à família e amigos.
Que Deus Nosso Senhor o receba de braços abertos.
 
Luís Miguel Martins

terça-feira, 28 de abril de 2015

Vazio de Poder




O Poder instituído e democraticamente eleito, deverá não só reflectir a vontade dos eleitores, mas igualmente ser o seu rosto, a sua voz, satisfazer seus desejos, ansiedades e necessidades.
O Poder instituído, deverá ser o longo braço político de um povo, designadamente, nos meios mais pequenos, onde a proximidade é inevitável e por vezes irresistível.
O Poder consiste pois, no corpo politico que o leitorado proporciona, fomenta e elegeu.
Termos em que a proximidade entre o poder e o eleitorado é compreensível, e por vezes, até mais próxima que o desejável, nas suas dissemelhantes variantes.
No entanto, quando se afere, um afastamento entre esse mesmo eleitorado e o Poder instituído, o mesmo deixa de ser a voz dos que o elegeram, deixa de ser o braço e o rosto politico de um povo, ainda que circunscrito ao seu Universo eleitoral. Deixa de ser a solução. Ao invés é visto como o embaraço, o obstáculo à saciedade das necessidades de toda uma colectividade.
A esse fenómeno de afastamento entre o eleitorado e o Poder instituído, não se poderá chamar de desavença, pois verdadeiramente, tal enlace nunca foi consumado.
A esse fenómeno, chamamos de “ Vazio de Poder “.

 

Luís Miguel Martins

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Poema : Praia da Rocha




PRAIA DA ROCHA

" Oh Praia da Rocha
Na foz do rio Arade
Terás sido a primeira tocha
De povos, como Suevos, Alanos
Gregos, Cartagineses
Também vieram Romanos
Todos ali aportaram
Por fim Muçulmanos
Junto da Cidade de Portimão
Domínios conquistados por luso humanos
A foz do Arade lá está piscando maganão.
Quem aporta à Praia da Rocha
De passagem, admira Portimão
Depois um saltinho às praias
Do Vau e Alvor, nas festas de Verão.
Como na cosmopolita Praia da Rocha
Onde passam as elites em animado serão
Beldades sem fastio
Veremos com o verão
No Solstício do Estio
Abrir a “vernisage” criar protagonismo
Manter imagem, eis o desafio
Ou reconquistar o amor
Que parece andar arredio
Oh Praia da Rocha, Navios de Cruzeiro
Ancoram, fazem desvio
Conhecer mundo é brilhante
Sonho de festa, um desafio
Praia da Rocha do mundano Verão
Do Algarve mais um pavio
És senhora desse condão "


Daniel Costa
Poema e foto

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Recordar Portimão.




 
Hoje não sei porquê, mas acordei com o cheiro a sardinhas e a carvão no ar. Provavelmente a remanescência de qualquer sonho ou memória adormecida dos velhinhos restaurantes de peixe junto ao rio Arade em Portimão, cujo fumo invadia parte da cidade.
Curioso, que não sendo nada velho nem saudosista, ainda me recordo de um Portimão totalmente diferente, daquele que existe hoje em dia.
Verdade se diga, que do Portimão que ainda me recordo não existia nem metade do betão, nem grandes superfícies comerciais, para ser sincero nem existia a V3 ou mesmo a V6 …
Mas diga-se a verdade, ainda me recordo de um Portimão cativante, com um centro vivo, com dinamismo, repleto de pessoas, turistas e lojistas. Recordo-me de um Portimão não só com os jardins tratados, os poucos existentes diga-se de passagem, mas com as suas passadeiras brancas, com os passeios arranjados e asseados. Recordo-me de um Portimão que celebrava e comemorava na praça da chamada “ Casa Inglesa ”, onde as famílias ao som de um locutor local ou de uma pequena banda ou mesmo de um grupo de folclore divertiam-se e consumiam os gelados e pipocas nas belas noites de verão, enchendo as esplanadas de vida e prosperidade.
Recordo-me do velhinho cinema e das filas do cine esplanada, dos bancos do “Madeirão” e as sangrias que por lá jorravam e da Av. Tomás Cabreira replecta de jovens e menos jovens.
 
recordo-me de um Portimão vaidoso, com brio e com esperança no futuro.
Recordo-me acima de tudo de um Portimão, empreendedor, com prospectivas, cativante e agregador. Um Portimão humilde, mas com futuro…
Como é bom recordar !
 
 
Luís Miguel Martins

 

 

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Confessionário Portimão encerra a 30 Abril



Depois de muitos anos a denunciar as irregularidades e a desvendar muitas verdades, O Confessionário de Portimão, comunica que dia 30 de Abril irá encerrar.
 
Luís Miguel Martins

terça-feira, 31 de março de 2015

O Algarve espera uma enchente.

 

O Algarve espera uma enchente, neste período de Páscoa.
O excelente tempo que se espera, as praias maravilhosas, a serra única, a gastronomia, os equipamentos hoteleiros, de restauração e diversão nocturna e diurna, os preços, a segurança e tranquilidade, e particularmente a maneira a como os turistas são recebidos no maior centro turístico de Portugal, irão fazer com que cerca de meio milhão de turistas nos visitem neste período de Páscoa.
A expectativa traduz-se num incremento da taxa de ocupação na ordem dos 5% a 6%, fruto essencialmente dos turistas Lusitanos, Espanhóis e do mercado Britânico.
Que esta Páscoa, seja mais um momento de promoção e afirmação do Turismo Algarvio e de bons negócio para todos os operadores ligados ao turismo.
Eu por mim, esta Páscoa, faço questão de estar no Algarve …

 

Luís Miguel Martins

segunda-feira, 23 de março de 2015

Poema: Algarve





" ALGARVE

Peço-te, Algarve, que digas
Por que és terra feiticeira?

A graça das raparigas...
As flores d'amendoeira...
Os gracejos, as cantigas...
O trajar da montanheira...

Os bailaricos mandados
Com poesia brejeira...
Os doces aprimorados...
A suave medronheira...

Lendas... Mouras encantadas...
O encanto da cor trigueira
E as chaminés rendilhadas
Quem seria a bordadeira?..

Diz, Algarve, como tu és
Um amor p'ra a vida inteira!

Comer figos da figueira...
Os saborosos mariscos...
Cataplanas, que petiscos!
Tentação à bebedeira...

Nadar no mar ternura
O oceano é banheira...
Praias sem fim de lonjura
A areia é longa esteira...

O sol! O sol está despido
É um Deus à soalheira...
O luar dá-lhe um vestido
E sonhos por travesseira...

Simplesmente enfeitiçados
Os corações, os sentidos,
Há lindos olhos fechados
A ti, ALGARVE, rendidos! "

Poema: Manuel Ponce (Faro)


sexta-feira, 20 de março de 2015

Petição sobre Taxa Protecção Civil discutida na A. República





Serve a presente para comunicar que  a Senhora Deputada Paula Santos (PCP), Relatora da Petição 446/XII-4ªSolicita a imediata suspensão da cobrança da taxa municipal de proteção civil ”, agendou reunião para o próximo dia 25.MAR.15 às 14H00 na Assembleia da República, nos termos da lei de petições, para a audição sobre a petição.

Recordo que a petição em apreço representa um movimento cívico inédito em Portimão, tendo sido outorgada por milhares de Portimonenses.
 
Luís Miguel Martins

domingo, 8 de março de 2015

Videovigilância por onde andas ?



Corria o ano de 2011, quando o à data Presidente da Câmara Municipal de Portimão, Dr. Manuel da Luz disse, em conferência de imprensa no salão nobre da câmara, que pretendia reorganizar a segurança no concelho e ter preparados até ao Verão de 2011 os dossiers da videovigilância, Polícia Municipal e dos Guardas-Nocturnos.
 
Recordo que já em 2007 tinha sido elaborado um primeiro dossier de videovigilância para a zona da Praia da Rocha que infelizmente não foi aceite na totalidade pela Comissão Nacional de Protecção de Dados.
 
Hoje, em pleno mês de Março de 2015, ainda não existe videovigilância em Portimão.
Advogo que a videovigilância é deveras importante para Portimão, não só para prevenir, persuadir ou identificar situações de conflito, mas também, em termos psicológicos, para dar um sentimento de segurança às populações e visitantes.
Num concelho turístico como Portimão, a colocação de câmaras de videovigilância na zona da Praia da Rocha e centro de Portimão certamente traria um  maior sentimento de segurança que empresários, residentes, turistas e o próprio Turismo agradeceriam.
O tema pela sua importância, e efeitos que poderia causar, merece ser novamente alvo de debate e discussão.
Termos em que, provavelmente será altura de novamente se colocar o tema da videovigilância na agenda …

Luís Miguel Martins

quarta-feira, 4 de março de 2015

A incoerência do Regime

 
O PS/Portimão votou contra a proposta do PSD/Portimão que poderia levar a uma isenção fiscal parcial  de IMI dos agregados familiares Portimonenses com residência própria e permanente e pelo menos um dependente.
 
A proposta final do PSD/Portimão propunha:
 
a) Levantamento de estudo de impacto social, de forma a aferir quantas famílias portimonenses poderão beneficiar desta redução excepcional de IMI;
 b) Levantamento de estudo de previsão de aumento da receita de IMI para 2015;
 c) Que o estudo seja remetido para os partidos com assento na Assembleia até Agosto, pois o orçamento de 2016 por força legal será discutido em Setembro de 2015.
 
Acresce que:
Além da bancada do PS ter votado contra a proposta apresentada pelo PSD, a bancada Socialista na pessoa do seu líder reconheceu mérito e oportunidade à mesma proposta que votaram contra e mencionou que iriam propor à Sra. Presidente de Câmara que avance com o estudo proposto.

 
Votam contra, mas reconhecem mérito …
 
Votam contra, mas propõem à Sra. Presidente que avance com a mesma …
 
A incoerência é total
Resumindo a posição do Regime é: Não, Sim, Talvez

Luís Miguel Martins

terça-feira, 3 de março de 2015

PS/Portimão diz NÃO a possível redução IMI



No passado dia 26 de Fevereiro, aquando a Sessão ordinária da Assembleia Municipal, o PSD/Portimão apresentou uma proposta séria e oportuna que poderia levar a uma isenção fiscal parcial  de IMI dos agregados familiares Portimonenses com residência própria e permanente e pelo menos um dependente.
 
Lembre-se que a referida proposta, é a única prevista no Orçamento de Estado de 2015 que poderia beneficiar os Portimonenses, reduzindo-lhes o esforço fiscal, fomentando a natalidade e a fixação das populações nas suas terras.
 
A proposta do PSD/Portimão propunha:
 
a) Levantamento de estudo de impacto social, de forma a aferir quantas famílias portimonenses poderão beneficiar desta redução excepcional de IMI;
 b) Levantamento de estudo de previsão de aumento da receita de IMI para 2015;
 c) Deliberar, após estudo produzidos, para ser remetido à Assembleia Municipal, de proposta de redução de IMI para agregados familiares com 1, 2, 3 ou mais dependentes;

 
Posteriormente, no decurso do debate alterou a alínea c) para: Que o estudo seja remetido para os partidos com assento na Assembleia até Agosto, pois o orçamento de 2016 por força legal será discutido em Setembro de 2015.
 
O Regime Socialista de forma cega deliberou contra a mesma e disse não…
 
O Regime não quer que os Portimonenses tenham acesso a um estudo, elaborado pela Câmara, que identifique expressamente quantas famílias em Portimão poderiam beneficiar desta isenção excepcional, sendo que de acordo com o último relatório social mais de 2000 famílias em Portimão seriam contempladas,

 
Muito menos quer o Regime que os Portimonenses saibam qual o aumento da receita de IMI para 2015 onde é expectável que a mesma seja bastante considerável designadamente após o fim da Cláusula de Salvaguarda do IMI, isto depois de no ano de 2014 a receita de IMI ter subido cerca de 2 Milhões de euros, fruto das reavaliações tributárias.
Caso para dizer que o Regime preocupa-se unicamente com o seu bolso e não com o bolso das famílias Portimonenses.

Luís Miguel Martins

 

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

PEPAL – Prazo acabou e resposta ZERO




Mais uma vez o Regime que se diz transparente, disponível, aberto e que basta um telefonema para disponibilizar a documentação solicitada. Pois é, mais uma vez esse mesmo Regime sonega e oculta informação aos próprios autarcas, democraticamente eleitos pelos Portimonenses.

 
Sendo público que no âmbito do PEPAL não foi atribuído nenhum estágio ao Município de Portimão, este Vosso Autarca no cumprimento das suas obrigações, questionou através de requerimento no passado dia 09 de Fevereiro a Exma. Sra. Presidente da Câmara Municipal de Portimão se tinham sido remetidas quaisquer candidaturas ao PEPAL pelo Município, EMARP e Portimão Urbis.
Pois bem, conforme decorre da LEI o prazo de 10 dias úteis, termina hoje, dia 20 de Fevereiro e resposta nem vê-la.
É caso para dizer que este Regime continua a não cumprir a Legalidade e muito menos a respeitar os Portimonenses e seus eleitos.
 
Luís Miguel Martins
 
 

 

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Autarquia Portimonense vai proporcionar 0 Estágios ...




As Autarquias Algarvias irão proporcionar 77 estágios técnico-profissionais, a jovens licenciados  até aos 29 anos ou até aos 35 se forem portadores de uma deficiência e que não se encontram a trabalhar, nos termos do Programa de Estágios da Administração Local ( PEPAL ).
 
Dos 16 Municípios Algarvios, 13 irão proporcionar uma maior e mais célere integração profissional e aprendizagem aos jovens Algarvios.

 
Nesse sentido, somente os Municípios, irão proporcionar os seguintes estágios: Albufeira vai proporcionar 7 estágios, Alcoutim 2, Aljezur 1, Castro Marim 7, Faro 4, Lagoa 6, Loulé 12, Monchique 6, Olhão 3, Silves 6, Tavira 7, Vila do Bispo 4 e Vila Real de Santo António 7.
 
Curioso o facto, de o Concelho com maior desemprego na Região e por inerência com uma taxa elevadíssima de jovens licenciados em situação de desemprego,  Portimão, não ir proporcionar nenhum estágio.

 
Curioso…
 
Não me digam que o Regime deixou-se, mais uma vez adormecer …
 

Luís Miguel Martins

 

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Regime mais uma vez não cumpre os prazos legais




No passado dia  20 de Janeiro de 2015, este vosso Autarca intentou dois  requerimentos à Exma. Sra. Presidente da Câmara Municipal de Portimão, a saber:

a) Se os contratos programa ou contratos de delegação de competência celebrados entre o Município e as juntas, estão a ser rigorosamente cumpridos ?

b) Se os contratos inter administrativos de 2014 e 2015, outorgados entre o Município e as Juntas, foram celebrados e aprovados, e em que termos ?

 
O prazo legal de resposta, terminou no passado dia 03 de Fevereiro.
Hoje é dia 09 de Fevereiro e a Sra, Presidente conti
O prazo legal de resposta, terminou no passado dia 03 de Fevereiro.
Hoje é dia 09 de Fevereiro e a Sra, Presidente continua sem respond
O prazo legal para a resposta acabou no passado dia 03 de Fevereiro, isto porque a Lei estabelece um prazo máximo de 10 dias úteis para a informação/documentação solicitada seja disponibilizada ao requerente.

Hoje, dia 09 de Fevereiro a resposta ainda não chegou ao requerente.
Depois do Regime, se ter disponibilizado a dar toda a informação/documentação solicitada, até mesmo por telefone. Só posso supor que o telemóvel do Regime está sem saldo …

 

Luís Miguel Martins

 

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Poema: O José




O JOSÉ
 
" O José era um politico
Com um nariz engraçado
Que por ordem d’um Juiz
Acabou engavetado
 
O José tinha um amigo
A quem correu bem a vida
Comprava-lhe apartamentos
Livros, carros e comida.
 
Vivia modestamente
Com os frutos do seu labor
Vestia discretamente:
Prada, Chanel e D’ior
 
Quis fazer um aeroporto
Em terras da fundação
Do seu amigo Soares:
O que o foi ver á prisão
 
A gerir o orçamento
Teve o máximo cuidado:
O aeroporto de Beja
É o mais movimentado
 
Fez escolas em Portugal,
Até deu computadores,
Era pois fundamental
Avaliar professores
 
Fez estradas, túneis e pontes,
Só faltou o TGV,
Criou amigos aos montes
À conta das PPP
 
E em todos os concursos,
Coincidência feliz:
Nada sobrava p’ros ursos,
Só MotaEngil e a do Liz
 
Convocou uma cimeira
Para unir todos os povos,
E mostrar a todo o mundo
Que temos amigos novos
 
Grandes líderes mundiais
Todos vieram aqui:
Apoios incondicionais,
Do Chavez e do Kadafii
 
Comprou milhões de vacinas
Foi um líder prevenido
Arranjaram-lhe um emprego;
Agora foi despedido.
 
Seguindo desta maneira
E se não mudar a sorte,
Vai para a Cova da Beira
Ou consultor, no Freeport.
 
Contrariou com lisura
Tudo o que p’aí se diz
Da sua Licenciatura,
E foi estudar para Paris
 
Regressou pois doutorado
Como um cidadão comum
E foi logo convidado
Para ir à RTP 1.
 
Foi comentador escolhido
Pela sua eloquência
Agora foi despedido:
Subiu logo a audiência.
 
De ruim e vil maneira
O juiz, esse vilão:
Mandou prendê-lo, o Teixeira,
Saindo do avião
 
Mas a saga continua
Por cá toda a gente aposta
Que o José só vem p’ra rua
Quando elegerem o Costa
 
No fim achamos por bem
E em nome da decência:
José faz lembrar alguém?…
- É pura coincidência! "


Autor: Um amigo, que por ser funcionário público em Portimão e não querendo ser perseguido prefere manter o anonimato.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Tomada de posse dos novos órgãos do PSD/Portimão



A tomada de posse dos novos órgãos do PSD/Portimão, que hoje se irá realizar, pelas 21:00 horas no Edifício O Tempo em Portimão, acarreta uma responsabilidade acrescida a todos os militantes.
Uma responsabilidade em unir e credibilizar o PSD na cena política local e distrital.
Uma responsabilidade em honrar a história e os estatutos do PSD e colaborar com o partido e seus órgãos locais, distritais e nacionais em todas as frentes que se avizinham.
Uma responsabilidade em unir o partido e os seus militantes.
Uma responsabilidade de no presente, todos unidos prepararmos o Futuro sem esquecer as lições do passado.
Uma responsabilidade que é pertença de todos os militantes do PSD/Portimão sem excepção e não exclusiva dos elementos que hoje tomam posse.
A todo(a)s o(a)s nosso(a)s companheiro(a)s e amigo(a)s, cumprimentos Socias Democratas.

 

Luís Miguel Martins

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Abaixo assinado na EMARP


Ano de 2015 termina com abaixo assinado da população de Portimão contra a (IN)Gestão do Regime e designadamente contra a Taxa da Protecção Civil, ao mesmo tempo que o ano de 2015 começa com um abaixo assinado dos funcionários da EMARP contra novamente a (IN)Gestão deste Regime.

Como cidadão e Autarca de Portimão sou testemunha que o Regime na presença da sua equipa e agenciados, disse em plena Assembleia Municipal perante os seus membros, público e funcionários que não existiriam discriminações no processo de externalização da Portimão Urbis e na integração dos seus funcionários no quadro da EMARP, bem como iriam auferir o mesmo que os outros.
 
Nós a oposição em geral, a minha pessoa em particular alertei que não eram essas as informações que a detinha, preveni e alertei para as consequências mas o Regime, em jeito de gozo, lá vendeu o seu peixe, e aprovou mais uma deliberação…

Mais uma vez se prova que a mentira tem pena curta…

Link:http://www.sulinformacao.pt/2015/01/abaixo-assinado-contra-desequilibrios-integracao-de-trabalhadores-da-urbis-na-emarp/