Número total de visualizações de página

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

A Guerra das Rosas


Não obstante a guerra, política entenda-se, entre a oposição e nomeadamente entre o Partido Social Democrata e o executivo municipal de cariz Socialista, uma nova guerra despontou em Portimão.
A guerra das rosas.
Fugindo dos cenários eminentemente políticos, a guerra das rosas ocorre nas páginas dos jornais locais. Jornais esses não esquecemos, nem podemos ignorar que são financiados por sua vez pelo erário público. Ou seja, a guerra das rosas, ainda que privada é sustentada por todos Nós.
Nesta guerra das rosas, encontramos por um lado desertores de um regime por si falido diga-se a verdade, outrora sargentos que hoje em dia mais não são do que praças que padecem de uma amnésia generalizada, total e assustadora. Por outro lado encontramos sargentos que ambicionam chegar a generais, ainda não afectados pela amnésia generalizada do opositor, mas antes cegos dos resultados nefastos de suas politicas.
Direi eu, com o devido respeito por alguns dos combatentes. Que nesta guerra das rosas, para  bem de Portimão e dos seus filhos que não resultem sobreviventes, políticos entenda-se, pois Portimão e os Portimonenses merecem ter um futuro.
 Um futuro digno, distante deste aterrador presente criado e fomentado pelas duas forças em conflito.

Luís Miguel Martins .

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Confessionário aconselha


Confessionário aconselha…

Confessionário de Portimão aconselha autarcas socialistas a não abusarem do queijo.
Pois tal como diz a velha expressão popular “ Excesso de queijo enfraquece a memória “, e pelo que se tem lido nalguns jornais locais a memória de uns quantos anda extremamente fraquinha.
Acautelem-se e não abusem do queijo.

Luís Miguel Martins

A Verdade fica sempre bem ...



Ainda as empresas municipais e o sector empresarial em Portimão.
Corria o ano de 2010, designadamente o dia 06 de Janeiro de 2010 e todos os vereadores Socialistas sem excepção votaram e foram a favor do projecto de fusão das empresas municipais, como se encontram.
Os únicos que sempre foram contra, verdade se diga, foram os vereadores do Partido Social Democrata, Dr. José Dias e Dra. Olga Brito.

E esta heim…

A Verdade fica bem na política…

Excerto da acta da reunião da Câmara de 06.Janeiro. 2010:

“DELIBERAÇÃO N.º 39/10:

02. - DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO (NIPG: 8/10)---
ASSUNTO: PROJECTO DE FUSÃO EMPRESAS MUNICIPAIS PORTIMÃO SGU
– SOCIEDADE DE GESTÃO URBANA, E.M., SA / PORTIMÃO RENOVADA
SRU – SOCIEDADE DE REABILITAÇÃO URBANA, E.M., SA / PORTIMÃO
TURIS, E.M., SA / MMP – MERCADO MUNICIPAL DE PORTIMÃO, S.A.----
DELIBERAÇÃO N.º 39/10: A Câmara delibera, por maioria, com 5 (cinco) votos A FAVOR (PS) e 2 (dois) votos CONTRA (PPD/PSD), aprovar o projecto de fusão”

Acta n.º 01/2010 Página

Reunião de 06/01/2010 Página 5 “


Luís Miguel Martins

Só existe um caminho. O caminho da Verdade...



No seguimento de um determinado texto, recentemente publicado, que tem sido alvo dos mais diversos comentários nos últimos dias em Portimão e nomeadamente no mundo cibernauta, sobre uma Sra. Vereadora Socialista do executivo da Câmara Municipal de Portimão  que opina ser contra as empresas municipais e designadamente contra o sector empresarial local de Portimão conforme foi constituído, relembro, porque sou como o elefante tenho uma memória intemporal, que os vereadores do Partido Social Democrata, Dr. José Dias e Dra. Olga Brito, haviam já em 20 de Julho de 2011, apresentado proposta para a extinção da empresa municipal Portimão Urbis. Naquele dia a ilustre Sra. Vereadora votou contra a sua extinção.

E esta heim…

A coerência também faz falta na política…

Excerto da acta da reunião da Câmara de 20.07.2011:

“Dr.ª Olga Brito, que a seguir se transcreve:--------------------------------
-----------------------------------------PROPOSTA -----------------------------------
Face à descuidada execução orçamental da despesa e à fraca receita arrecadada
pelo Município. ---------------------------------------------------------------------
Face às novas alterações, que se esperam, na governança local e que forçosamente
irão ser introduzidas e aplicadas na gestão municipal, propomos:
As competências que actualmente recaem sobre a empresa municipal – Portimão Urbis SGRU SA, EM, regressem imediatamente ao município e que a referida empresa seja extinta.-DELIBERAÇÃO N.º 542/11: A Câmara delibera rejeitar, por maioria, com 3 (três) votos contra dos Sr.s Vereadores do PS (Dr. Luís Carito, Dr.ª Isabel Guerreiro e Sr. Sobral Luís) a proposta apresentada pelos Sr. Vereadores do PSD, Dr. José Dias e Dr.ª Olga Brito e aprovar, por maioria, com 2 (dois) votos CONTRA, (Srs. Vereadores do PSD, Dr. José Dias e Dr.ª Olga Brito), a constituição do fundo imobiliário e nomear o Sr. Presidente da Câmara pararepresentar o Município na Assembleia Geral da Sociedade.-----------“


Luís Miguel Martins


sábado, 21 de janeiro de 2012

Confessionário superou as 50.000 visitas


Confessionário superou as 50.000 visitas

O Confessionário hoje ultrapassou as 50.000 visitas.
O número alcançado somente irá cimentar a responsabilidade de um mero servo de Portimão que luta e pugna pela verdade e que a mesma seja por todos conhecida.
Os mais honestos e sinceros agradecimentos pela confiança e amizade depositada nas vossas consultas e comentários.
O meu muito obrigado.

Luís Miguel da Costa e Cunha Martins

Dor de corno


Estás com uma tremenda dor de corno
Resolveste escrever uma palavras
Palavras, pura retórica…
Só resta saber onde publica-las
Onde todos te possam ler
E saber…
Que és pessoa de muitas falas

Tantas falas, porque não te calas
Poluis o espaço, sem embaraço
Com tantos calhamaços de nada,
Triste poeta de beira de estrada
Triste criatura, alada
Transformas as asas, em chagas

Chagas aos olhos de quem te lê
Sim, porque alguém sempre te lê
Chagas de mau gosto, arrogância
Fora do contexto
Do espaço, que é nosso
Que é vosso

Estás com uma tremenda dor de corno
Então não causes transtorno
Eleva essa dor, e …
Cria alguma coisa com sabor
Nem que seja a fantasia,
Ou ironia, até mesmo despeito,
Mas cria algo de respeito”





terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A verdade...


"Existem verdades que a gente só pode dizer depois de ter conquistado o direito de dizê-las."
 Jean Cocteau

Nenhum médico é capaz de curar a cegueira da mente


Aprovado em Assembleia Municipal autorização para aquisição pela Portimão Urbis das participações sociais privadas, bem como o desenvolvimento do projecto de fusão entre a ExpoArade Estrutura S.A e a Portimão Urbis;
Com esta operação a Portimão Urbis compra por 26.000,00 € os 51% da participação dos privados na Estrutura S.A e com isso fica a única responsável pelo passivo superior a 14 Milhões de euros.
É caso para dizer que nenhum médico é capaz de curar a cegueira da mente.

Luís Miguel Martins

sábado, 14 de janeiro de 2012

Nomeações: números e percentagens


Nomeações cargos dirigentes superiores:
Reconduzidos – 816 ( 80% )
Novas nomeações – 208 ( 20% )

Nomeações cargos dirigentes superiores / Administração directa:
Reconduzidos – 617  ( 87% )
Novas nomeações – 130 ( 17% )

Nomeações cargos dirigentes superiores / Administração indirecta:
Reconduzidos – 199 ( 72% )
Novas nomeações – 78 ( 28% )

Nomeações cargos sector empresarial estado:
Reconduzidos – 101 ( 58 )
Novas nomeações -  74 ( 42% )

Extintos:
1.700 quadros dirigentes no âmbito do PREMAC

Luís Miguel Martins



Luis Miguel Martins: Intervenção


Ao longo dos últimos anos, o Município de Portimão seguiu uma política orçamental ambicioso, mas imprudente.
Politica essa que conduziu o Município de Portimão e o seu sector empresarial local a uma situação de endividamento excessivo e sufocante.
Politica essa que não permite que o Município de Portimão honre seus compromissos financeiros e nesses termos promove manifestação à frente do Edifício Passos do Concelho de credores, sejam eles professores, ou de cidadãos assustados, sejam eles encarregados de educação.
As finanças do Município de Portimão revelaram um grave problema de indisciplina orçamental motivada pelos sucessivos orçamentos irrealistas e dispares para com o duro mas real cenário económico. Os saldos provisionais previstos pelo executivo nunca foram os realmente observados.
Os encargos verificados em muito superaram as receitas orçamentadas.
Enfim os consecutivos orçamentos padeceram sempre de enormes fragilidades e de muita ambição, diria melhor de muita ilusão.
Ao invés do que se menciona “ o ponto chave do desequilíbrio conjuntural não se registou com a redução da receita tributária, mas antes conforme o ROC e o próprio Plano de Saneamento Financeiro alegam, o ponto chave do desequilíbrio conjuntural foram os sucessivos orçamentos apresentados por este executivo e aprovados pelos votos socialistas, maioria absoluta no presente órgão deliberativo.
Os sucessivos orçamentos cegamente aprovados e cujas receitas ficaram sempre aquém das expectativas iniciais, foram o ponto chave que originou a acumulação sucessiva de défices expressivos, ano após ano, deliberação após deliberação.
A elaboração e aprovação de orçamentos com receitas exageradas, empoladas e fictícias, na ânsia de apresentarem orçamentos equilibrados é que foi o ponto chave do verdadeiro desequilíbrio em que as finanças do Município de Portimão se encontram.

Termos em que,
Face aos dados actualmente disponíveis, as dificuldades de concretização da receita manter-se-ão sempre, enquanto esta assembleia continuar a aprovar orçamentos irrealistas.
Mas perdoem-me se aqui não venho discutir com a devida profundidade :
a)     O empréstimo de longo prazo de cerca de 95 Milhões euros – até porque desconhece a oposição os termos em que os mútuos serão celebrados e as suas condições;
b)    A venda de 49% do Capital Social da EMARP por 53 Milhões – até porque desconhece a oposição qualquer estudo que credibilize esse valor;
c)     A geração de uma receita de 52 Milhões com a criação do Fundo de Investimento Imobiliário – até porque desconhece a oposição, quais os imóveis que alegadamente serão inscritos no referido fundo;
d)    Bem como não acredita a oposição na concretização das outras medidas propostas a não ser a subidas das taxas e dos impostos locais.

Venho aqui sim, discutir a inoperância, a cegueira e a surdez deste executivo para com as chamadas de atenção não só da oposição, como de toda uma comunidade, que alertou e manifestou-se contra o anterior Projecto de Saneamento Financeiro e a sua morosidade.
É indiscutível que Portimão precisa urgentemente de um projecto de Saneamento, quer seja este ou outro.
Precisa o Município de Portimão, o seu sector empresarial, precisam os fornecedores locais, distritais e nacionais, precisam os bancos e todas as instituições financeiras que são credoras do Município de Portimão, mas acima de tudo precisa esta cidade, seus habitantes, seu comércio e serviços e o seu turismo.
V. Exc(s), com vossa teimosia, ignoraram não só os alertas provindos da oposição, da comunidade Portimonense, mas pior, não souberam ler os sintomas de que padece a Cidade de Portimão e as suas gentes, optando antes por fechar os olhos e tapar os ouvidos, contribuindo para a extrema  morosidade deste processo e para o incrementar das sérias dificuldades que se fazem sentir na nossa comunidade.
Por mim, e pela minha bancada, discordamos deste plano,
V. Exc.(s) certamente votarão favoravelmente.
Sinceramente espero que seja encontrado uma solução… pelos causadores desta tragédia grega, mas outra que não esta.

Luís Miguel Martins

Assembleia Municipal aprova novo Plano Saneamento Financeiro




Sala meio despida, nenhuma promoção/divugação, pouco falatório local e lá foi pela 4.º vez discutido e aprovado o Plano de Saneamento do Executivo Socialista, com os votos favoráveis dos autarcas Socialistas contra os votos contrários de toda a oposição:
a)     Empréstimo de longo prazo de cerca de 95 Milhões euros –desconhecendo a oposição e a comunidade Portimonense os termos em que os mútuos serão celebrados;
b)    Venda de 49% do Capital Social da EMARP por 53 Milhões – Desconhecendo a oposição e a comunidade Portimonense qualquer estudo que credibilize esse valor;
c)     Geração de uma receita de 52 Milhões com a criação do Fundo de Investimento Imobiliário – Desconhece a oposição e a comunidade Portimonense, quais os imóveis que alegadamente serão inscritos no referido fundo;
d)    Bem como outras medidas propostas tal como a subidas das taxas e dos impostos locais.

Luís Miguel Martins

Confessionário está de volta ...



Excesso de trabalho, falta de tempo,  compromissos assumidos, a família, os deveres políticos, os amigos e as responsabilidades efectivamente têm roubado alguma disponibilidade ao nosso Confessionário.
Mas aqui fica o compromisso, amanhã cá estamos de novo, com novidades frescas…

Luís Miguel Martins

sábado, 7 de janeiro de 2012

Amanhã: Orçamento 2012


O Confessionário não desapareceu, não se cansou, nem está  esgotado.

 Amanhã o Confessionário comentará o orçamento aprovado pelo Regime para 2012.

Luís Miguel Martins

domingo, 1 de janeiro de 2012




"O futuro tem muitos nomes.
Para os fracos é o inalcançável.
para os temerosos, o desconhecido.
Para os valentes é a oportunidade."