Número total de visualizações de página

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

A Guerra das Rosas


Não obstante a guerra, política entenda-se, entre a oposição e nomeadamente entre o Partido Social Democrata e o executivo municipal de cariz Socialista, uma nova guerra despontou em Portimão.
A guerra das rosas.
Fugindo dos cenários eminentemente políticos, a guerra das rosas ocorre nas páginas dos jornais locais. Jornais esses não esquecemos, nem podemos ignorar que são financiados por sua vez pelo erário público. Ou seja, a guerra das rosas, ainda que privada é sustentada por todos Nós.
Nesta guerra das rosas, encontramos por um lado desertores de um regime por si falido diga-se a verdade, outrora sargentos que hoje em dia mais não são do que praças que padecem de uma amnésia generalizada, total e assustadora. Por outro lado encontramos sargentos que ambicionam chegar a generais, ainda não afectados pela amnésia generalizada do opositor, mas antes cegos dos resultados nefastos de suas politicas.
Direi eu, com o devido respeito por alguns dos combatentes. Que nesta guerra das rosas, para  bem de Portimão e dos seus filhos que não resultem sobreviventes, políticos entenda-se, pois Portimão e os Portimonenses merecem ter um futuro.
 Um futuro digno, distante deste aterrador presente criado e fomentado pelas duas forças em conflito.

Luís Miguel Martins .

6 comentários:

  1. Uma coisa é certa nós é que pagamos essas guerras pelo poder. Está engraçado ver o partido socialista às turras consigo mesmo como é engraçado ler as peças de determinadas personalidades com responsabilidades.
    Abraço Martins.

    João Pedro

    ResponderEliminar
  2. Em casa em que não há pão, toda a gente reclama e ninguém tem razão.

    ResponderEliminar
  3. Rosas com demasiados espinhos, tantos que até magoam quem lhes tenta apanhar.

    ResponderEliminar
  4. A sociedade portimonense não está alheia das divisões do partido que tem governado desde sempre a câmara. É nítido e ponto de conversa não só dessa divisão e da luta pelo poder, como da fuga das responsabilidades que alguns autarcas têm.
    A questão já não se prende que grupo triunfará, a questão é que nenhum deles pode triunfar.

    ResponderEliminar
  5. Os 2 comentários não foram publicados no mesmo jornal ?
    Se a resposta for positiva pois confesso ter algumas duvidas é lamentável e vergonhoso. Dividir para reinar por outras palavras.

    ResponderEliminar

Por motivos que se prendem com a falta de ligação entre os comentários e os Post colocados e outros, doravante todos os comentários serão previamente considerados.