Número total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Regime Vigente não "partilha" microfone

Regime não “partilha” microfone.
No passado dia 28 realizou-se um merecido jantar de despedida e de agradecimento do Sr. Veiga, exemplar e dedicado funcionário do Município de Portimão que se aposentou,  tendo sido por muitos anos o responsável pela preparação e tramitação dos trabalhos inerentes á Assembleia Municipal e aos seus membros.
Nesses termos todos aqueles que trabalharam quer directa ou indirectamente com o Sr. Veiga foram convidados a estar presentes no referido jantar. Jantar esse onde obviamente fizeram-se representar todas as forças políticas de Portimão, sem excepção.
Lamentável, é que novamente ao melhor estilo Bolchevista, ao melhor estilo ditatorial, ao melhor estilo Socialista, o Regime não partilhou o microfone com a oposição, não permitindo que a oposição em jantar própria proferisse publicamente umas palavras ao homenageado, lamentavelmente direi, uma vergonha para a democracia, acuso…  Limitou-se o Regime a promover os seus tendo somente disponibilizado o microfone para o Dr. Manuel da Luz, Dr. Francisco Florêncio, Martins Garcia e Dra. Isilda Gomes.
O Regime vigente mais uma vez demonstrou a sua falta de respeito pelo pluralismo político, social e democrático. Obviamente que todos aqueles que não são “rosas” ficaram inibidos de publicamente, também, distinguirem o homenageado.
Termos em que,
Por um Portimão democrático, Por um Portimão que trate todos como iguais e não distinga as pessoas conforme a sua cor política, por um Portimão que respeita o pluralismo político, social e de opinião este Regime ditador tem que ser expulso pelos Portimonenses.
Luís Miguel Martins

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Confessionário ultrapassa barreira das 35 Mil visitas



O Confessionário de Portimão, ultrapassou na passada 5.º feira a barreira das 35 mil visitas.
Desde a sua criação, em finais de 2009 que o Confessionário de Portimão foi bem aceite por todos vós, ao inicio como tudo de alguma forma tímida, hoje em dia de forma muito mais activa, dinâmica e reiterada.
A todos os que têm contribuído para que o Confessionário de Portimão seja o que é, os mais sinceros agradecimentos por parte do seu administrador.

Luís Miguel Martins

Tribunal de Contas bombardeia Regime com questões

Oposição não é a única a colocar questões ao  Regime Vigente.
 No decurso do silêncio do Regime e da não disponibilização de documentos e informação uma comitiva composta por autarcas do Partido Social Democrata deslocou-se ao Tribunal de Contas com o intuito de se inteirar do andamento do Processo de Saneamento Financeiro.
Aferiu o Partido Social Democrata, que naquela semana tinham chegado as resposta que o tribunal de Contas tinha colocado ao Município de Portimão, fazia mais de 2 meses.
Pelos vistos o Tribunal de Contas não ficou nada satisfeito, pois ainda hoje chegou ao Município de Portimão mais um batalhão de questões levantadas pelo Tribunal no âmbito do Projecto de Saneamento Financeiro.
Caso para dizer… Com este regime todos os partos são às escuras e complicadíssimos…

Luís Miguel Martins

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Magna est veritas et praevalebit


Luís Miguel Martins, autarca, membro da Assembleia Municipal de Portimão, eleito pelo Partido Social Democrata, informa todos os interessados, que ainda hoje seguirá exposição para a IGAL efectuada pelo próprio relatando a recusa por parte do Regime Vigente em disponibilizar determinados e específicos documentos e informações .
O Regime disponibiliza somente o que lhe interessa e quando lhe interessa, denotando uma falta de respeito gritante pelos princípios e ideais democratas.

Magna est veritas et praevalebit ( A verdade sempre prevalece ).

Luís Miguel Martins

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O Despotismo do regime

Ilustres amigo(a)s,
Passaram-se 157 dias e o regime vigente em Portimão ainda não se dignou disponibilizar a documentação e informação peticionada pela Oposição, quando o devia ter feito ao fim de 10 dias, favorecendo uma política déspota, autista, absolutista, terrorista, arcaica, autoritária e repressiva, que esconde dos Portimonenses e da Oposição a real e verdadeira situação do Município de Portimão e seus contratos programa.
Será esta a Democracia que queremos em Portimão ????
Junto temos que livrar Portimão do marasmo e Despotismo que alguns causaram…
Luís Miguel Martins

PSD visita Tribunal de Contas


Caros e ilustres amigo(s),

Perante a recusa déspota do Regime Vigente em Portimão em disponibilizar informação e documentação peticionada à oposição, sobre o Projecto de Saneamento Financeiro, o Partido Social Democrata de Portimão deslocou-se ontem ao Tribunal de Contas com o intuito de inquirir quais a questões e dúvidas levantadas pelo Tribunal de Contas e a resposta e argumentação do Município de Portimão, entre outras...
Por muito déspota que o Regime seja a Democracia prevalecerá…
Luís Miguel Martins

Por onde anda o “ Edição Especial ” ?


Pois é a crise faz disto.
Em Portimão, ao que parece, mais um jornal local de publicação quinzenal deixou de ser publicado.
Uns dirão que é a crise, outros  que é o reflexo da falta de pagamento do Município de Portimão, mas a verdade é que o “ Edição Especial “ já não é editado vai para umas boas semanas.
Dúvidas não temos que o jornalismo local ficou mais pobre, bem como mais pobre ficarão os fiéis leitores, privados das suas noticias.
Com isso mais pobre ficou também o Regime Vigente em Portimão, pois perde um meio por excelência para a sua propaganda política, perdem os amigos que em tempos áureos também auxiliaram e deixam de fazer as suas publicaçõezinhas e de atirar as suas lanças, perdem-se as “bocas” encomendadas, perdem-se algumas mentiras e até especulações desnecessárias, perdem projecção alguns mortos vivos, e até eu confesso perco o meu momento  de chacota às quintas-feiras à tarde, ainda que de 15 em 15 dias.
Como diz o outro “…são bocas Luís…são bocas”.
Luís Miguel Martins

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

E quando a corda romper ?
























Esta semana foi apresentado aos Portugueses, provavelmente o Orçamento de Estado mais austero na história da nossa Democracia.
Não nos preocupemos em identificar culpados e muito menos  afirmar que o José Sócrates foi o único e grande culpado. A culpa reside em todos aqueles que Governaram o país nos últimos 36 anos, e vão-me desculpar, mas a culpa é também essencialmente nossa, isto é de todos nós, dirigindo-me obviamente ao povo Português.
Mas culpados à parte este orçamento forçado pelos compromissos com a Troika e atendendo  a situação extremamente fragilizada em que o país se encontra, obriga a cortes radiais e profundos.
Todos sem excepção sentiremos na pele esses mesmos cortes. Aliás, já os estamos a sentir. As nossas carteiras cada vez mais leves, os impostos cada vez mais altos, os rendimentos e subsídios cada vez são menores e a intranquilidade social atinge estados alarmantes.
Os Portugueses serão levados ao limite da paciência e sobrevivência, diga-se a verdade.
Infelizmente estou convicto, e Deus queira que me engane, que a corda está a ser demasiado esticada e que finalmente acabará por romper. Uma vez rompida a corda das duas uma ou a população enraivecida e saturada sai á rua e assistiremos a manifestações como nunca antes vistas, ou a população resigna-se e aprende a viver numa nova ordem económica nacional.
Pelo estado em que o país foi vedado, aceitam-se a maior parte das medidas, mas de forma… temporária e proporcionalmente.

Mas em nome da poupança e da Troika, não nos tirem tudo … de forma radical e perpétua.

Luís Miguel Martins



terça-feira, 18 de outubro de 2011

EMARP – Advoga, mas pessimamente mal …


Ilustres e amigo(a)s Portimonenses,
Existem determinadas afirmações que lemos ou ouvidos que das duas uma ou ficamos com vergonha de tal ou de boca aberta perante a estupefacção.
No âmbito do negócio entre a EMARP e o Município de Portimão, tem vindo o Confessionário de Portimão a denunciar/delatar não só informação, documentação como tem igualmente vindo a esmiuçar um ofício da própria EMARP que tenta justificar o injustificável.
Bem desta feita a EMARP faz inclusivamente o papel de Advogada do Município, quando a mesma alega que :
“No que concerne ao título de utilização do prédio destinado a armazém, informamos que a EMARP tem vindo a utilizar o mesmo a título gracioso, nunca tendo havido qualquer contrato escrito com a Câmara Municipal de Portimão que, de direito, é a proprietária do referido prédio.”.
Inimaginável uma entidade autónoma e independente advogar em nome de outrem “ … Câmara Municipal de Portimão que, de direito, é a proprietária do referido prédio.”.”.
Pese embora, no entanto a lamentável e errada alegação.
Obviamente que a informação não só é errada, como demonstra que quem a produziu, em nome da EMARP, não domina a ciência do Direito Administrativo nem a realidade das Autarquias Locais, quanto mais dos Municípios e isso é extremamente assustador.
Obviamente que é FALSO e ERRADO que a Câmara Municipal seja proprietária de coisa alguma, pois a Câmara Municipal em rigor não passa de um órgão colegial do Município sem personalidade jurídica, e nesses termos, incapacitada de celebrar negócio jurídicos, ou seja incapacitada de ser titular do direito de propriedade de algum imóvel, isto é proprietária. O que o responsável da EMARP que outorgou o referido ofício, ( que somente não se identifica pois trata-se de luta política e nunca pessoal devendo o indivíduo ser protegido ) é que o Município de Portimão é o proprietário do referido prédio.
Tal lapso não só é lamentável, como censurável e assustador…
Tal afirmação obriga-nos a constatar que a EMARP tal como Portimão encontra-se nas mãos erradas…

Luís Miguel Martins



domingo, 16 de outubro de 2011

As nossas Escolas Secundárias no ranking nacional


O Jornal de Noticias avançou com um estudo comparativo das nas nossas escolas Secundárias, que teve como partido os resultados nacionais da primeira fase de exames e a avaliação final de oito disciplinas.
Desse estudo comparativo chegou-se a um Ranking de Escolas Secundárias onde se pode aferir que a Escola Número 1 do país encontra-se no Algarve e é privada e é nem mais nem menos que o Colégio Internacional de Vilamoura.
Das outras 18 escolas secundárias sitas no Algarve e que fazem parte do referido Ranking de salientar que 3 escolas públicas encontram-se as 100 melhores do país, entre elas Básica e Sec. Albufeira, Eanes lagos e a José Belcior Viegas de S.B. Alportel .
Em Portimão a Poeta António Aleixo nem se encontra mal classificada encontrando-se no 143.º lugar, mas a Manuel Teixeira Gomes desilude encontrando-se no 373.º lugar.
Em jeito de conclusão e analisando o referido Estudo Comparativo e o seu Ranking dir-se-á que existe ainda muito por fazer no e pelo ensino público no Algarve.
Os estudante de hoje serão os Homens do amanhã. Preparar bem e condignamente os nossos jovens não é somente importante como indispensável para um Algarve mais desenvolvido e melhor preparado no futuro.

Ranking das escolas secundárias Algarvias que participaran no Estudo Nacional 


Posição – 1 Colégio Internacional de Vilamoura – Média 14.71 – Privada
Posição - 92   Básica e Sec. Albufeira – Média 11.37 – Pública
Posição – 94  Eanes lagos – Média 11.36 – Pública
Posição -  98 José Belcior Viegas de S.B. Alportel – Média 11.31 - Pública
Posição – 143  Poeta António Aleixo Portimão – Média 10.96 – Pública
Posição -  149  Júlio Dantas Lagos – Média 10.90 – Pública
Posição – 200 João de Deus Faro – Média 10-62 - Pública
Posição – 237 Pinheiro e Rosa Faro – Média 10.43 - Pública
Posição – 243 Internacional do Algarve – Média 10.41 – Privada
Posição – 336   Albufeira – Média 10.00 – Pública
Posição 370 – Loulé – Média 9.89 – Pública
Posição – 373 Manuel Teixeira Gomes Portimão – Média 9.89 – Pública
Posição 430 Jorge Augusto Correia Tavira – Média 9.61  -Pública
Posição – 421  Silves – Média  9.66 – Pública
Posição – 459 Francisco Fernandes Lopes Olhão – Média 9.43 - Pública
Posição – 472 Tomás cabreira Faro – Média 9.34 - Pública
Posição – 493 Dra. Laura Ayres Quarteira – Média 9.24 – Pública
Posição -  517  Padre Oliveira Lagoa – Média 9.07 – Pública
Posição – 571 Vila real Santo António – Média 8.48 – Pública


Luís Miguel Martins

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Processo EMARP – Regime apanhado a mentir…


Caros e ilustres Portimonenses,
O processo de aquisição de um equipamento por parte da EMARP que custará a módica quantia de cerca de 3.2 milhões de euros, traz água no bico e contornos cada vez mais estranhos, senão vejamos.
No decurso da última sessão da Assembleia Municipal um destacado membro do partido da maioria afirmou na Assembleia Municipal que a EMARP não iria recorrer ao crédito bancário para adquirir o respectivo equipamento, pois tinha condições de efectuar sozinha o investimento.
Eis, que dias mais tarde, a EMARP informa que “ .. não existe qualquer decisão definitiva relativamente á forma, modalidade, entidade e condições financiamento por parte da EMARP , relativamente à aquisição do edifício em questão. Com base na proposta efectuada pelo Município, a empresa encontra-se a estudar as diversas hipóteses.”.
Conclusão,
Em sede de Assembleia MunicipalNão existirá recurso a financiamento bancário;
Em sede de EMARPAinda não se sabe, estão a estudar as diversas hipóteses.

Mais uma vez o Regime é apanhado a MENTIR,
Mais uma vez o Regime de forma clara, voluntária e dolosa tenta ENGANAR a oposição e os cidadãos de Portimão.

Luís Miguel Martins

“ Mamã preciso de um rolo de papel higiénico .”.

“ Mamã preciso de um rolo de papel higiénico .”.
Foi esta a frase que uma mãe ouviu de um filho quando regressou da sua escola, em Portimão.
Ao ponto que isto chegou… Os professores aconselham os seus alunos a trazerem papel higiénico para a escola, pois o Município de Portimão, responsável pelo equipamento escolar nem se digna a comprar os utensílios mínimos para a higiene das crianças.
Novamente coloca-se a questão, como é possível um Município despender milhões de euros em festas, festanças e D.J e não ter capacidade sequer para fornecer papel higiénico às suas escolas.
Resposta: São a prioridades do Regime Vigente.

Luís Miguel Martins

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

EMARP desembolsa mais de 3 milhões sem estudo/parecer técnico…


Caros e ilustres Portimonenses,
Teve precisamente agora o Confessionário de Portimão conhecimento que os responsáveis pela EMARP, entenda-se o Conselho de Administração da EMARP decidiram por sua livre iniciativa adquirir um equipamento que utilizavam de forma gratuita, por mais de 3 milhões de euros, sem a referida deliberação encontrar-se alicerçada num estudo ou parecer de viabilidade económica da referida operação.
Parece desconcertante que encontrando-se a EMARP com pouco mais de 3 milhões de euros de disponibilidades em tesouraria, valor esse historicamente baixo, resolva de animo leva adquirir por mais de 3 milhões de euros, um equipamento que utiliza de forma gratuita sem um único estudo orientador da referida operação.
Caso a EMARP, opte por não recorrer ao financiamento bancário e gaste o que lhe resta de disponibilidades em tesouraria, amanhã uma febrezinha ou uma ligeira constipação pode ser o fim da EMARP.
Luís Miguel Martins

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Força Portugal ...


Já que os nossos governantes locais só nos dão tristezas, ao menos que seja a Seleção Nacional a dar-nos uma valente alegria.
O Confessionário de Portimão está com a Seleção Nacional.
Força Portugal.
Luís Miguel Martins  

Nova Rúbrica ... O espelho dos orgãos, discussão e deliberação.

O Confessionário de Portimão irá dar inicio a uma nova rubrica, ainda esta semana.
O Confessionário irá divulgar não só o que foi discutido e deliberado na última e próximas Assembleias Municipais, reuniões de Câmara e de Junta de Freguesia, mas irá igualmente informar quais as moções intentadas ( de quem e seu conteúdo ) e qual o sentido da votação.
Iremos começar pela última Sessão da Assembleia Municipal e prometo que surpresas serão reveladas…

Luís Miguel Martins

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Hoje nasceu o João Dinis.

O Confessionário de Portimão não tem por hábito individualizar. No entanto como não existe regra sem excepção, a individualização é hoje aqui feita.
Hoje nasceu o João Dinis.
O João Dinis um dos mais jovens Algarvios e Portimonenses, filho de uma filha da terra e de um filho de Almada, que também se apaixonou pelos ares do Rio Arade e da Praia da Rocha, presenteou hoje a comunidade Portimonense com a  sua chegada.
A chegada do João Dinis certamente não foi a única e obviamente não será a última. Termos em que, em nome do João Dinis, dos outros bebés e dos nossos filhos tenhamos força, coragem, alento, discernimento e razão para proporcionarmos à nossa descendência um futuro melhor e mais risonho.
Luís Miguel Martins

Blog PSD/Portimão


É com muito prazer que o Confessionário de Portimão comunica que foi hoje lançado o Blog do Partido Social Democrata de Portimão.
Trata-se pois de um espaço destinado a todos os Portimonenses e àqueles  que gostam e se interessam por Portimão, pudendo nele intervir e publicar.
Trata-se pois de um Blog que procura ser a voz do cidadão e o espelho da realidade.
Luís Miguel Martins

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Lamentável: Nem as árvores históricas escapam ao betão…

Recuperação da igreja matriz de Portimão, não preserva árvores com dezenas e  dezenas de anos e com um enorme historial sobre a Igreja matriz e a Cidade de Portimão.

Numa Cidade onde não impera o verde, a sombra natural nem os jardins a obra de recuperação da Igreja Matriz, peca na minha singela opinião pela morte das históricas árvores de Portimão.

Nem uma transladação foi considerada. Ao jeito da cidade do betão que Portimão se tornou, mandaram as árvores abaixo e limitaram-se a cortar o seu tronco às postas.
Lamentável e desnecessário. Se o projecto de recuperação importava a saída das árvores daquele local, que ao menos fossem transladadas para outro local e não “assassinadas” da forma vil como as fotografias retratam.


Lamentável …

Luís Miguel Martins


Geração Esperança


Desde o 24 de Abril de 1974, Portugal foi gerido e administrado por uma geração que em termos etários enquadramo-la na geração dos nossos avós e nossos pais.
Essas duas gerações, ao longo de 36 anos, governaram o país, suas Regiões Autónomas e respectivas Autarquias. Traçaram rumos, vincularam-nos a obras, endividamento, Tratados e Uniões, aos quais a nossa Geração nunca pode manifestar a sua opinião.
Não obstante os compromissos geracionais que as referidas Gerações nos vincularam, os mesmos têm que ser entendidos á luz das relações bilaterais, diplomáticas e comerciais a que Portugal nunca poderá ser alheio, bem como àquela obra que terá utilidade e uso intergeracional e nesses termos a minha Geração de forma pacifica aceita, respeita e até congratula.
No entanto, essas mesmas duas Gerações viveram muito acima das suas reais possibilidades. Consumiram e usufruíram aquilo que não podiam pagar. Comeram as colheitas destinadas às gerações futuras e alimentaram-se das mesmas de forma irresponsável e faustosa. Alimentaram-se a si e aos seus. Tornaram-se obesos. Não obstante comerem em demasia durante a sua vida activa, ainda se deram ao luxo de lhes terem destinado reformas milionárias e por vezes acumuladas.
Não contentes e satisfeitos, trataram ainda de igualmente colocar bem aqueles que lhes eram mais próximos, aqueles cujo cartão coincidia, dando origem a uma sociedade de favores, de cores, de cartões em detrimento de uma sociedade que privilegie o mérito, a exigência e o rigor.
Não satisfeitos com a obesidade adquirida e a faustosa vida, que alguém algum dia pagará, deram-se ao luxo de se proteger criando uma cascata de diplomas jurídicos que protegem o enriquecimento indevido, injustificado e ilícito.
Passados,
Passados, que estão 36 anos, a minha Geração não se pode sujeitar a esta sociedade imoral construída e alimentada nas últimas décadas.
Ainda que a minha Geração pouco possa beneficiar, temos a obrigação moral, social e familiar de fazer melhor pelos nossos filhos.
Nesses termos a minha e nossa geração é a Geração Esperança...
Geração Esperança, para que os nossos filhos tenham um futuro melhor e não um futuro como nós sobrecarregado pelas gerações que nos precederam…

Luís Miguel Martins

Regime continua a esconder verdade da Oposição e dos Portimonenses…


Ilustres amigo(a)s,
Passaram-se 143 dias e o regime vigente em Portimão ainda não se dignou disponibilizar a documentação e informação peticionada pela Oposição, quando o devia ter feito ao fim de 10 dias, favorecendo uma política autista, absolutista, terrorista, arcaica, autoritária e repressiva, que esconde dos Portimonenses e da Oposição a real e verdadeira situação do Município de Portimão e seus contratos programa.
Será esta a Democracia que queremos em Portimão ????
Junto temos que livrar Portimão do marasmo e Despotismo que alguns causaram…
Luís Miguel Martins