Número total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Portimão contraria “Troika” e já vai em 101 novas admissões em 2011.

Municípios por este Portugal fora têm em 2011 reduzido os seus funcionários no âmbito do interesse próprio e nacional.

O plano da “Troika” exige o corte anual de 2% do pessoal da Câmaras Municipais. O curioso é que este ano, já se verificou uma redução de 0,45%, o que não deixa de ser substancial e encorajador para o futuro


No entanto, nem todos os Município são bons alunos e pautam suas condutas pelo interesse estratégico e interesse nacional, como é o caso de Portimão. Em Portimão o executivo Socialista ao invés de reduzir a despesa e o excessivo e descontrolado endividamento liquido, opta pela política suicida, aumentando as suas despesas permanentes, tendo ao invés do resto do país aumentado somente durante os primeiros 5 meses do ano de 2011, o quadro de pessoal em 101 novas contratações.


Fonte: Jornal de Negócios: http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=486813

Pódio dos Municípios que mais contrataram pessoal em 2011:
1. Município da Maia com 138 admissões em 2011;
2. Município Matosinhos com 125 admissões em 2011;
3. Município de Portimão com 101 admissões em 2011.

Luís Miguel Martins

Ajustes directos continuam a ignorar empresas locais.

Desta feita o Município de Portimão contratou por Ajuste Directo em 20.04.2011 uma empresa do PORTO a Lovimec - Renovação Urbana e Construções, Unipessoal, Lda., para Remodelação do Edifício Administrativo do Departamento de Obras e Serviços Gerais, pela módica quantia de 149.680,00 €.


Mais uma vez o Executivo Socialista além de ignorar procedimentos mais transparentes e concorrências que permitem uma melhor gestão do erário público, ignora igualmente as empresas de construção da cidade de Portimão e da região.



Em tempos de crise para a actividade da construção civil, com número de desemprego recorde e as empresas da região a atravessarem por grandes dificuldades, porque será que o executivo Socialista continua a ignorar as empresas locais em detrimentos das empresas “amigas” de fora ?

Confirme tudo em: http://www.base.gov.pt/_layouts/ccp/AjusteDirecto/Detail.aspx?idAjusteDirecto=234484&lk=srch

Luís Miguel Martins

Portimão, uma cidade vedada ao abandono.



O executivo Socialista foi avisado e avisado que não podia continuar com o endividamento exagerado e descontrolado do Município de Portimão, sob pena de colocar o mesmo na bancarrota.


Eis que após o executivo Socialista ter a seu jeito ignorado os avisos da oposição e tendo inclusive desmentindo-a, Portimão encontra-se numa situação extremamente fragilizada, senão mesmo na bancarrota.


Os seus efeitos já se começam a sentir, primeiro foi o não pagamento aos credores e depois os ordenados dos professores em atraso, ordenados nos bombeiros em atraso. Eis que agora, não existindo dinheiro para mandar cantar um cego, os equipamentos e estruturas da sociedade de Portimão encontram-se vedadas ao abandono, desmazelo, negligência e à sua sorte.


A título de exemplo vejam-se os semáforos no cruzamento entre a Mauzinho Albuquerque e a S. João de Deus, que se encontram avariados vai para mais de 3 meses e já aqui havia sido condenada tal situação em 26 de Abril.


Bem como a televisão digital do Município, que encontra-se segundo a versão Socialista a arranjar vai para mais de 3 meses, e já aqui havia sido condenada tal situação a 12 de Abril.

As paredes encontram-se por pintar, pois estão cheias de grafites, os passeios por arranjar, enfim… aonde vai parar Portimão ?

Luís Miguel Martins

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Portimão uma cidade conquistada pelos “Grafites”…



Portimão uma cidade vedada ao abandono…

Depois do poder vigente assumir o estado calamitoso e de bancarrota em que colocaram as finanças do Município de Portimão, comprometendo o seu futuro. Depois dos ordenados dos professores em atraso e dos bombeiros. Depois de não pagarem aos fornecedores e levarem ao encerramento de empresas e aumento do desemprego.


Eis que desde feita o poder vigente, abandona a sua responsabilidade e seu dever e deixa a cidade a cargo da negligência e entregue aos “Grafites”.
Grafites” e mais “Grafites” eis o que o poder vigente em Portimão tem para oferecer aos turistas…


Luís Miguel Martins

Mais uma promessa, mais uma mentira…



Aquando a campanha eleitoral das últimas eleições autárquicas ( 2009 ) o Partido Socialista colocou um género de taipal em volta do edifício supra identificado com dizeres onde mencionava que se estava a proceder à “ Reabilitação urbana “, se iria “ Renovar Portimão “ e se estaria a “ Trabalhar para o futuro “.


O Partido Social Democrata avisou que tal era mentira pois o Município encontrava-se à beira da bancarrota e não haveria dinheiro para fazer nada se não se parasse com o despesismo exacerbado de forma drástica. Eles, o Partido Social, riram, disseram que era mentira e mais uma vez enganaram os Portimonenses.

Quase 2 anos passados, tudo está na mesma, não se vê nenhuma reabilitação nem renovação urbana. Eis que confessaram que o Município está na bancarrota e o taipal ainda por lá se encontra, faltando somente a “Reabilitação urbana”, “ Renovar Portimão” e “Trabalhar para o futuro”.


Luís Miguel Martins

Portimão uma cidade com excesso de “ Luz”.








Portimão uma cidade mal administrada, vedada ao abandono, desprezo e desleixo por parte do regime vigente.


Portimão um Município falido, na bancarrota, com dividas de mais de 127 Milhões de euros a fornecedores ( de curto prazo e conhecida ) dá-se ao luxo de manter as luzes da nossa cidade acesas em pelo dia.


As fotografias elucidativas do desmazelo a que Portimão foi vetado pelo regime vigente dizem respeito ao dia 19 de Maio do corrente ano, pelas 11.30.

Não se esqueçam, ainda que a electricidade seja da responsabilidade da EDP, o consumo da mesma é da responsabilidade do Município de Portimão, isto é nosso, porque os Portimonenses é que a vão pagar.

Os Portimonenses mereciam mais consideração e respeito pelo dispêndio do erário público que é de todos nós.

Luís Miguel Martins

quinta-feira, 19 de maio de 2011

"Gritos na Urbys" - História verídica

Estreia no próximo dia 31 de Junho de 2011 a nova mega metragem filmada na Cidade de Cinema de Portimão, “ Gritos na Urbys “.



Gritos na Urbys” conta a história do descontrole de uma empresa de alta finança do Estado do Zimbábue. Relata o desnorte de toda uma equipa de profissionais, para prestar contas a quem de direito, depois da fuga dos políticos Zimbabueanos, responsáveis pelo enorme descalabro. “Gritos na Urbys” relata o desespero…a ansiedade…o receio… e obviamente os gritos ouvidos.



Gritos na Urbys” conta com uma equipa de actores extremamente consagrados tais como: Adalberto Churrasco Beleza e Agrícola Beterraba Moça Cabrita como o par romântico, Aleluia Sarango Adeus Xuxista que faz o papel de um técnico contratado à capital política para tentar desenrascar a situação ( mas não consegue ), Faraó do Egito de Souza Decide Mal no papel de Juiz e Lambreta Catejano Porrada Neles no papel de policial e o grandíssimo actor Portimonense Sebastião Salgado Doce Gordo no papel de guarda prisional.



Atenção: Qualquer parecença com a realidade é extremamente semelhante...

PS: Voltamos (como sempre) a não nos responsabilizar pelo pagamento dos honorários da equipa técnica e actores, dos fornecedores, dos professores, dos bombeiros e amanhã dos nossos próprios funcionários.

Luís Miguel Martins

quarta-feira, 18 de maio de 2011



Eis a prova inequívoca que o Algarve não pode ser só Turismo e Construção.


O Algarve precisa de recuperar a sua indústria. A Indústria das Pescas, das Conserveiras e enlatados. O Algarve precisa de arranjar alternativa para a empregabilidade sazonal do Turismo e o desemprego que a mesma acarreta.


O Algarve não pode depender somente de um ou outro sector.


Desemprego entre os jovens:


Algarve 17%
Madeira 13,9%
Lisboa 13,6%
Norte 12,8%
Alentejo 12,5%
Centro 9,7%
Açores 9,5%


Luís Miguel Martins

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O algodão não engana...



Como dizia um amigo no Facebook, e muito bem diga-se, os números são como o algodão.


Só remato dizendo que, o algodão não engana.


Luís Miguel Martins

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Pode o presente penhorar/hipotecar o futuro???

Grande parte dos políticos da nossa praça gabam-se de terem efectuado obra, orgulham-se dos seus equipamentos, das suas infra-estruturas, dos seus feitos, que muitas vezes servem somente para promoção no decurso de uma campanha eleitoral e mera vaidade pessoal.

No entanto, muitos desses nossos grandes e colossais políticos, esquecem-se de dizer ao seu concidadão que fazem e praticam a política hoje em dia à custa dos Homens e dos contribuintes do amanhã.



Por isso é que alego que fazer política com obra e com inaugurações é fácil, demasiado fácil até. Gostaria é de ver esses senhores que hoje em dia andam de cabecinha levantada, carros faustosos, fatinhos a brilhar e radiosos de vaidade das suas gestões, afirmarem às gerações vindouras “ Porreiro Pá…Desculpem lá pela minha vaidade ter comprometido o vosso futuro.”.

A política obviamente que não se limita ao presente, não claramente que não. A política deverá ser exercida igualmente a pensar nos que amanhã cá andarão. Mas teremos nós direito de penhorar / hipotecar o futuro e as vidas naqueles que amanhã cá andarão, aos quais chamaremos filhos e netos, somente para justificarmos a política que praticamos no presente ?


Não, não me parece…

Luís Miguel Martins

Quem vai pagar são as crianças…

Amigos e amigas,


Fazer política à custa da geração vindoura é fácil, muito fácil. Tão fácil que até deveria ser criminalizado.


Sabiam que as festas, os foguetes, os eventos, concertos, os D.J, os jantares e os copos, os Ajustes Directos, as estadias e "pseudo" formações e tantos outros eventos levados a cabo em Portimão pelo regime vigente é suportado, ou melhor será suportado pelos nossos filhos ?



Tratando-se de Portimão de um Município com cerca de 55.000 habitantes e sendo o seu passivo liquido de 167 milhões de euros, cada criança que nasce em Portimão tem já uma divida Municipal por liquidar de cerca de 3.036,00 €.


Acha bem que sejam os nossos bebés a suportar e a financiar a propaganda do regime vigente ?
Pois eu não. E por isso digo BASTA.


De acordo com os números conhecidos, em Portimão o endividamento liquido municipal, conhecido, é por cada munícipe de 3.036,00 €, isto sem se contar com o endividamento da Portimão Urbis E.M, sem o endividamento deslizante, sem o serviço da divida ( Juros ).


Os nossos filhos não podem ser as vitimas deste regime. Diga também BASTA


A verdade não pode ser ocultada.


Luís Miguel Martins

Portimão o Município mais endividado da Nação Portuguesa em termos “Per Capita”.





Portimonenses os mais endividados da Nação Portuguesa em termos “Per Capita”.

Encontrando-se Portimão em 3.º lugar na lista dos Municípios mais endividados do país, onde partilha o pódio com Lisboa e os seus cerca de 600 mil habitantes e um passivo de 1.1 mil milhões euros, Vila Nova de Gaia com cerca de 320 mil habitantes e um passivo de 216 milhões de euros e finalmente Portimão com os seus cerca de 55 mil habitantes e os cerca de 167 milhões de euros, de passivo líquido conhecido, faltando apurar o passivo total da Portimão Urbis E.M e o designado passivo deslizante.

Nesses termos, por índices “per capita”, Portimão ocupa de forma destacada o 1.º lugar do endividamento “Per capita”, devendo cada Portimonense a módica quantia de 3.036,00 €, senão veja-se a tabela seguinte:

Endividamento municipal por índices “Per Capita”

Município-------Endividamento-----População-----Endividamento Per Capita
1.ºPortimão----167 Milhões-----55.000----------- 3.036,00 €

2.º Lisboa--------1.1. mil milhões----600.000-----------1.833,00 €
2.º V. N. Gaia ----216 Milhões-------320.000-----------675,00 €

De acordo com os números, em Portimão o endividamento liquido municipal, conhecido, é por cada munícipe de 3.036,00 €, quase o dobro de que em Lisboa e 4.5 vezes mais do que em V. N. Gaia.

A verdade não pode ser ocultada.

Luís Miguel Martins

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Portimão o 3.º Município mais endividado do país.

O Município de Portimão, segundo o relatório do ROC, tem um passivo liquido de 127 Milhões mais 40 Milhões de euros da Portimão Urbis E.M inerentes aos prejuízo de 2008 e compromissos bancários de 2010, que não se encontram orçamentados, consumando um total de 167 milhões de euros, sem se conhecer as contas da Portimão Urbis E.M, isto é obra.





Veja a lista:

1.Lisboa passivo de 1,1 mil milhões e cerca de 600 mil habitantes (2004)
2.Vila Nova Gaia passivo de 216 milhões e cerca de 320 mil habitantes
3.Portimão 167 Milhões e cerca de 55 mil habitantes ( sem contabilizar as contas da Portimão Urbis E.M e das participações nas outras empresas, nem o endividamento deslizante ).
4.Aveiro passivo de 154 milhões e cerca de 752 867 habitantes
5.Porto passivo de 133 milhões e cerca de 220 mil habitantes
6.Gondomar passivo de 128 milhões e cerca de 26 mil habitantes
7.unchal passivo de 106 milhões e cerca de 100 mil habitantes
8.Sintra passivo de 97 milhões e cerca de 446 mil habitantes
9.Braga passivo de 96 milhões e cerca de 177 mil habitantes
10.Covilhã passivo de 95 milhões e cerca de 54 mil e 507 habitantes


Se pensarmos que só somos cerca de 55 mil habitantes a questão agrava-se...


Isto é obra e quem vai pagar esta política da festa e do foguete são os nossos filhos e netos.

Luís Miguel Martins

terça-feira, 3 de maio de 2011

Como deveria a Portimão Urbis E.M considerar e respeitar o dinheiro dos Contribuintes

A Portimão Urbis E.M vai gastar do erário público, pertença de todos nós, 188 mil euros em formação externa.




O procedimento utililizado foi o ajuste directo.




No entanto,


e sendo a Portimão Urbis E.M uma empresa dotada de jovens e excelentes quadros, grande maioria superiormente formados e habilitados, então vamos colocá-los a ministrar formação.


Se não têm ninguém com CAP que apostem em 10 ou 15 funcionários e paguem-lhes o CAP que custa hoje em dia a módica quantia de cerca de 500,00 €, depois ponham esses mesmos quadros a especializarem-se em determinadas temáticas público-administrativas e façam formação “in-door”, isto é ministrem formação aos próprios quadros da estrutura .


Aqui ficam algumas temáticas que deverão ser alvo de especialização e formação:


a)Direito Administrativo;
b)Código Procedimento Administrativo;
c)Novo Regime da Contratação Pública;
d)Regime Geral das Contra-Ordenações;
e)SIADAP – Sub-sistema 1, 2, 3;
f) Regime Jurídico Urbanização e Edificação;
g) Outros…

Luís Miguel Martins






Problema informático (in)justifica falta de contas da Portimão Urbis E.M



No passado dia 02 de Maio do corrente ano, ocorreu a segunda reunião da Sessão Ordinária da Assembleia Municipal de Portimão.




Nessa Sessão foi discutida e deliberada o relatório de contas do Município de Portimão do ano de 2010.

Mais uma vez, repito mais uma vez as contas em Portimão são aprovadas pelos votos da maioria Socialista, mas encontram-se inquinadas, ou melhor coxas, não reflectindo a realidade.


Mais uma vez as contas da Portimão Urbis E.M não foram apresentadas e nesses termos as contas aprovadas ontem pela maioria Socialistas não reflectem a realidade económico-financeira do Município de Portimão, como alegou a bancada do Partido Social Democrata e reconheceu o próprio ROC.


No entanto, verdade se diga, o Exmo. Sr. Vice-Presidente da Câmara Municipal de Portimão apressou-se a justificar a ausência de contas, motivada por problemas informático.


Quase que acreditávamos, não tivesse o próprio ROC do Município de Portimão, alegado em seu relatório que já em Fevereiro de 2011 o mesmo não tinha as contas de 2010.


Caso para dizer, é um grandíssimo problema informático.

Luís Miguel Martins