Número total de visualizações de página

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Os tentáculos do “Polvo” do regime.

Fazendo parte de um órgão municipal que se encontra na oposição ao regime vigente e de uma Comissão politica que feroz, corajosa  e frontalmente encara o regime e desvenda a todos os seus mais íntimos segredos, tenho sido o destinatário nos últimos meses de alguns comentários menos próprios e até ofensivos. Mas sinceramente tal não me incomodada, como diz o outro sou imune aos mesmos.
O mesmo infelizmente, não posso dizer em relação a 2 ou 3 propagandistas, que por mais de uma vez tentarem, obviamente sem sucesso, convencer-me que delatar/denunciar as verdades ocultas, isto é dar a conhecer a verdade, não seria a melhor política, nem o melhor para Portimão. Independentemente dessas 3 ou 4 opiniões, pois Graças a Deus, limitam-se a polir o pó ao regime vigente, a esmagadora maioria dos partidários e simpatizantes assim não consideram.
Nesses termos, tenho vindo a assistir de forma algo insólita, assumo, a ingerência dos tentáculos do “Polvo” do regime nas associações e clubes de futebol, onde as listas vencedoras não só reflectem e são patrocinadas pelo regime vigente, como incluem os tais 2 ou 3 dissidentes que parecem gostar mais do regime do que da ideologia política que livremente adoptaram e até em fóruns inicialmente apartidários.   Como se tal não bastasse tenho igualmente vislumbrado uma clara e objectiva tentativa de diminuição por parte do regime vigente não só do maior partido da oposição bem como verdade se diga de toda a oposição ,pretendendo causar confusão e desconfiança. O que verdade se diga, na parte que me toca, não conseguiu o regime alcançar seus objectivos.
Os comentários, os inquéritos, as perguntas efectuadas tanto no Facebook como em outros fóruns de comunicaçãos, têm intencionalmente tentado causar embaraços não só nos partidos da oposição como nos futuros candidatos. Pessoalmente não acredito em coincidências, nem em inocências.
Tudo tem um propósito, precisamente por isso é que estamos vigilantes e atentos aos tentáculos do “Polvo”.

Luís Miguel Martins

terça-feira, 26 de julho de 2011

Regime Vigente troca Cantina Social por festas e copos.


No inicio de 2011, o Partido Social Democrata apresentou em reunião de Câmara Municipal na pessoa dos vereadores José Dias e Olga Brito, proposta para a criação de uma Cantina Social em Portimão.
A proposta essa que foi aprovada por unanimidade, pretendia num momento em que o desemprego atinge números alarmantes em Portimão e na região e as famílias passam por inúmeras dificuldades, fazer uso de uma cantina escolar e servir em regime pós-laboral, quando a mesma não estaria a ser utilizada, uma refeição quente aos mais necessitados.
Aquando a respectiva deliberação o executivo Socialista comprometeu-se a levar adiante a referida proposta e implementá-la de imediato, assim que existisse disponibilidade financeira para tal.
Passados que estão mais de 7 meses da aprovação da Cantina Social, constatamos que o executivo Socialista ainda não conseguiu encontrar disponibilidade financeira para avançar com a cantina Social, mas por outro lado lá conseguiu como que por magia disponibilizar dinheiro para o “ Meo Summer Party” , concertos, jantares e outras festas e eventos.
Uma coisa é certa, as propostas do Partido Social Democrata para a presente legislatura têm vindo a ser cumpridas e apresentadas nos órgãos próprios. Ao passo que na presente legislatura o Regime Vigente continua a preferir despender o erário público em festas, festanças, caipirinhas e afins em detrimento do apoio social aos mais necessitados.
Termos em que, é justo afirmar-se que o regime vigente troca Cantina Social por festas e copos.

Luís Miguel Martins

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Portimão Urbis E.M cria fundo imobiliário.

Ilustres e caríssimos Portimonenses,
Não obstante o regime vigente ter aprovado um projecto de saneamento financeiro, contra os votos de toda a oposição, que entre outras medidas, propõe a criação de um Fundo de Investimento Imobiliário e a consequente alienação do património imobiliário do Município de Portimão a terceiros.
Tendo inclusive à data o Partido Social Democrata e a restante oposição intentado plano de recuperação financeira, que pretendia sanear e preservar as conta do Município sem a necessária alienação do património. Projecto esse que foi rejeitado pelos votos dos autarca do regime vigente.
Eis que,
O regime vigente, propôs e aprovou em reunião de Câmara através da deliberação n.º 542/11, com os votos contra dos vereadores do Partido Social Democrata, no passado dia 20 de Julho a criação de um Fundo Imobiliário para a Portimão Urbis, SGRU – Sociedade de Gestão e Reabilitação Urbana, E M, S A. isto é a Portimão Urbis, também vai alienar todo o seu património imobiliário a terceiros.
Num passado muito recente, quando o Partido Social Democrata denunciou que o regime vigente iria alienar património imobiliário, pois encontrava-se a actualizar os registos e a transferir património do Município para a Portimão Urbis, fomos desmentidos pelo regime vigente e apelidados de profetas da desgraça, e acusados de que só sabíamos criticar.
Um ano depois, temos um projecto de saneamento financeiro que pretende alienar todo o património do Município a terceiros e um outro fundo imobiliário da Portimão Urbis que igualmente irá alienar todo o seu património imobiliário a terceiros, com a agravante que tratando-se de uma empresa municipal a Assembleia Municipal não se irá pronunciar sobre tal.
Ilustres e caríssimos Portimonenses,
O regime vigente em detrimento de cortar com o despesismo exagerado e descontrolado, em detrimento de ter uma gestão mais racional pratica uma (in)gestão ruinosa e dolosa, que outra salvação não tem senão alienar todo o património a terceiros pois o importante é que a festa continue.
Aqui fica um aviso: os credores que se acautelem. Pois sem património imobiliário vão-se as garantias reais…
Luis Miguel Martins

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Abaixo a Ditadura em Portimão

Passados 64 dias o regime vigente não se dignou a disponibilizar a documentação peticionada, quando o devia ter feito ao fim de 10 dias, favorecendo uma política autista, absolutista e autoritária, que esconde dos Portimonenses e da Oposição a real e verdadeira situação do Município de Portimão.
Um Regime que não respeita os direitos dos requerentes, o Direito do Estatuto da Oposição, o Regime jurídico do Acesso aos Documentos Administrativos, que não respeita os princípios e ideais democratas é um regime DITADOR.

Eis os documentos/informações peticionados e que o regime vigente tanto esconde. Porque será ?
1.º Contrato programa outorgado entre Município de Portimão e AQUA;
2.º Contrapartidas negociadas entre Município Portimão e o AQUA e o nível de execução das mesmas;
3.º Contrato programa outorgado entre Município de Portimão e Portimão Retail Parque;
4.º Contrapartidas negociadas entre Município Portimão e o Portimão Retail Parque e o nível de execução das mesmas;
5.º Contrato programa outorgado entre Município de Portimão e Retail Parque da V6;
6.º Contrapartidas negociadas entre Município Portimão e o Portimão Retail Parque da V6 e o nível de execução das mesmas
7.º Contrato programa outorgado entre Município de Portimão e a ParkAlgarve;
8.º Candidatura do Município Portimão ao Programa JESSICA em 2009, 2010 e 2011;
9.º Parecer Jurídico elaborado pelo Sr. Secretário de Estado segundo Sr. Presidente da Câmara ( Peticionado pela 8.º Vez – Sinceramente duvida-se da sua existência )


Luís Miguel Martins

Ajustes Directos continuam: Anda faltando Vergonha na cara...

Ajustes Directos continuam em Portimão.
O regime vigente privilegia o Ajuste Directo em detrimento de um procedimento mais democrático em que todas as empresas possam concorrer em plena igualdade e em que o dispêndio do erário público seja protegido e considerado.
Esta (in)gestão do Regime Vigente além de lesiva do erário pública é totalmente contrária aos princípios democráticos em que uma sociedade moderna se rege, privilegiando relações de promiscuidade entre os nossos dinheiros públicos e as empresas amigas do regime instalado.
Simplesmente vergonhoso e altamente lesivo dos interesses de Portimão e dos Portimonenses.

O Regime Vigente que ganhe vergonha na cara e permita que todos aqueles que querem tenham a oportunidade de participar nos procedimentos. O Regime Vigente que ganhe vergonha na cara e opta por procedimentos democráticos em detrimento de utilizar exclusivamente o Ajuste Directo.
Portimão não pode continuar a ter filhos e enteados... nem continuar a ver uns quantos enriquecer à custa do empobrecimento de todos.

Luís Miguel Martins

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Taxa Sasha a caminho ...

Ilustres Portimonenses,
É do conhecimento de todos que este executivo Socialista melhor identificado como regime Vigente arruinou as finanças do Município de Portimão e endividou as próximas 2 gerações. Alguns ainda insistem em chamar-lhes gestores de dinheiros públicos eu pessoalmente prefiro chamar-lhes de enterradores.
Perante o cenário em que o Município de Portimão foi colocado por esta (in)gestão Socialista, os mesmos propuseram em sede de reunião de Câmara e aprovaram em sessão de Assembleia Municipal a nova tabela de taxas que para espanto de muitos vai ao ponto de taxar os aparelhos de ar-condicionado, parabólicas, antenas, vasos, etc… pois precisam tanto de receitas como os pulmões precisam de ar.
Soubemos agora, que não ignorando os milhões já despendidos com o evento “Sasha” e os milhares do buraco que o Sr. Luis Evaristo deixou ao Município, que a festa via continuar. O que importa é a festa, festança e perdoem-me a expressão a “cagança”.
Nesses termos, para o ano ainda vamos ter a “Taxa Sasha” para pagar as festas do Regime Vigente.

Nota de Rodapé: O termo “ Taxa Sasha” não é da autoria nem inspiração do Confessionário de Portimão, mas antes de uma amiga do Facebook. A ela os nossos cumprimentos e agradecimentos.
Luís Miguel Martins

O "Allgarve" desconheço e ignoro...Viva o Algarve


Caro(a)s amigo(a)s,
Acabei de receber um convite para o festival “ Allgarve Goumert”. Obviamente que não estarei presente, pois aqueles que efectivamente  amam o Algarve sentem igualmente o seu nome. Não têm vergonha no nome Algarve, antes pelo contrário têm orgulho.
A expressão Algarve provêm da palavra Árabe (الغرب, al gharb) que significa "o oeste" é a região mais a sul de Portugal continental.
Segundo alguns documentos históricos, a conquista definitiva do Algarve aos mouros, nomeadamente a tomada da cidade de Faro, foi feita de forma relativamente pacífica. No entanto, apenas em 1267 - no tratado de Badajoz - foi reconhecida a posse do Algarve como sendo território português, devido a pretensões do Reino de Castela. Curiosamente, o nome oficial do reino resultante seria frequentemente designado de Reino de Portugal e do Algarve, mas nunca foram constituídos dois reinos separados.
Termos em que aferida uma brevíssima rasura histórica e terminológica, eu optei por viver no Algarve, a minha família vive no Algarve, os meus filhos são Algarvios e eu amo o Algarve. O Allgarve desconheço e ignoro.

Luís Miguel Martins

terça-feira, 19 de julho de 2011

17 espaços comerciais encerrados em apenas 500 metros


Hoje numa pequena caminhada entre o Tribunal e o domicilio profissional do Administrador do Confessionário de Portimão, contabilizei 17 ( Dezassete ) espaços comerciais fechados. 17 espaços comerciais onde outrora existiam estabelecimentos, empregos e criava-se riqueza, foram substituídos pelo desemprego, falência/insolvência e estagnação económica., que espelha bem o que tem sido a gestão do regime vigente.
Uma gestão que abandonou o centro e o comércio de Portimão, uma gestão que arruinou o comércio tradicional e vendeu-se aos interesses das grandes superfícies, cujas fortunas sacadas em jeito de monopólio nem dormem na cidade de Portimão, pois adormecem nas contas bancárias de onde são oriundas, em detrimento da defesa dos interesses dos empresários da terra e que nela investem.

Luís Miguel Martins

Confessionário continua a ser contra as portagens



Perante os comentários no dia de hoje sobre as portagens na Via do Infante, o Confessionário de Portimão, não pode deixar de afirmar que é inteira e intransigente contra a colocação de portagens na Via do Infante.
Os motivos que levaram o Confessionário de Portimão e seu Administrador a manifestarem-se contra a colocação das portagens, aquando o Governo transacto, são precisamente as mesmas que hoje em dia lhes assistem.
Sabemos que o país passa por uma crise económico-social de difícil superação. Sabemos que todos, sem excepção, têm que contribuir  em nome da Nação para corrigirmos o rumo que o país seguiu nos últimos 36 anos. Sabemos que todos teremos que fazer sacrifícios em nome da colectividade.
Mas também sabemos, que o Algarve recebe migalhas dos milhões que contribui para o PIB Nacional. Também sabemos que no Algarve não existe alternativa à Via do Infante. Também sabemos que a economia da Região do Algarve irá sofrer um enorme revés com a colocação de portagens na Via do Infante. Também sabemos que a Estrada Nacional 125, ainda que o Governo anterior tenha prometido, não foi alvo de reformas, reestruturação e requalificação adequada a um aumento do tráfego automóvel. Também sabemos que a EN 125 tem a alcunha de “Estrada da Morte” e que a fuga de transito automóvel da Via do Infante para a EN 125 resultará, infelizmente, num número incalculável de acidentes mortais.
Termos em que, o Confessionário de Portimão e seu Administrador,  enquanto se mantiverem os pressupostos supra serão totalmente contra a colocação de Portagens na Via no Infante.

Luís Miguel Martins



segunda-feira, 18 de julho de 2011

Substituição de vereadores em Portimão ?

A apetência  registada e confirmada que o Regime vigente em Portimão assume pelas festas, festanças, churrascadas, inaugurações, revistas cor de rosa, caipirinhas e afins, suportadas  pelo erário público á custa de todos os Portimonenses, e em detrimento da real e efectiva prossecução dos interesses da colectividade,
ainda vai fazer com que o poder vigente substitua um Vereador por um DJ,

ou por um Barman.

Luis Miguel Martins 

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Agradecimentos do Confessionário de Portimão


O Confessionário de Portimão vem pela presente apresentar os seus mais sinceros agradecimentos a todos os que visualizam, consultam e têm vindo a intervir no Blog.

Este espaço, ainda que seja por vezes controverso, tem vindo a ser acima de tudo um espaço de divulgação da verdade e da realidade aos Portimonenses e mais interessados sobre a real e verdadeira situação em que o Município de Portimão se encontra. Por vezes os Post são inclusivamente publicados com uma ou mais semanas de atraso em relação à informação, pois a regra do Confessionário de Portimão é que tudo o que é publicado encontra-se suportado em prova documental.

Pode o Confessionário de Portimão adiantar, que desde que os comentários começaram a ser censurados, somente 3 foram ignorados e não publicados, pois o respeito e a elevação ainda na discussão deve ser atendido.

Neste momento o Confessionário de Portimão tem uma média de 160 visitas diárias e 4800 mensais, a título de curiosidade só ontem o Blog teve 200 visitas.

O compromisso com a Verdade, ainda que seja incomoda para alguns mantém-se, termos em que, aqui fica expresso os agradecimentos do Confessionário de Portimão a todos.

Luís Miguel Martins

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Resultados de inquéritos demonstram colossal desfasamento

Os Portimonenses, foram esclarecedores, entendem de forma clara que o regime vigente não deveria despender o já escasso e raro erário público em discotecas, copos e DJ e ainda por cima em concorrência directa com os privados.

Eis os resultados das duas questões colocadas nos inquéritos:

Concorda que o Município de Portimão concorra directamente com os bares e discotecas da Praia da Rocha ?

Sim – 11%
Não – 88%

Concorda que o Município de Portimão concorra de forma directa e abusiva com os bares e discotecas da Praia da Rocha ?

Sim – 21%
Não – 79%

Os resultados dos inquéritos supra, demonstram bem o desfasamento entre a gestão do regime vigente e dos reais interesses dos Portimonenses.

Luís Miguel Martins


Lápis “azul” persiste em Portimão



Regime Socialista em Portimão, um regime que não convive bem com ideais democratas, nem com os direitos da oposição.

Em 19 de Maio de 2011, Luís Miguel Martins, na qualidade de autarca eleito pelos e para os Portimonenses, no exercício das suas competências legalmente estipuladas, peticionou documentação e informação ao abrigo do Direito à Informação e do Direito à Oposição Constitucionalmente Consagrados.


Passados 57 dias o regime vigente não se dignou a disponibilizar a documentação peticionada, quando o devia ter feito ao fim de 10 dias, favorecendo uma política autista, absolutista e autoritária, que esconde dos Portimonenses e da Oposição a real e verdadeira situação do Município de Portimão.

Eis os documentos/informações peticionados e que o regime vigente tanto esconde. Porque será ?

1.º Contrato programa outorgado entre Município de Portimão e AQUA;
2.º Contrapartidas negociadas entre Município Portimão e o AQUA e o nível de execução das mesmas;
3.º Contrato programa outorgado entre Município de Portimão e Portimão Retail Parque;
4.º Contrapartidas negociadas entre Município Portimão e o Portimão Retail Parque e o nível de execução das mesmas;
5.º Contrato programa outorgado entre Município de Portimão e Retail Parque da V6;
6.º Contrapartidas negociadas entre Município Portimão e o Portimão Retail Parque da V6 e o nível de execução das mesmas
7.º Contrato programa outorgado entre Município de Portimão e a ParkAlgarve;
8.º Candidatura do Município Portimão ao Programa JESSICA em 2009, 2010 e 2011;
9.º Parecer Jurídico elaborado pelo Sr. Secretário de Estado segundo Sr. Presidente da Câmara ( Peticionado pela 8.º Vez – Sinceramente duvida-se da sua existência )

Luís Miguel Martins

quarta-feira, 13 de julho de 2011

30.º Concentração de Faro



O Confessionário de Portimão, felicita mais uma grande Concentração de motas de Faro, precisamente a sua 30.º edição.


Este gigante evento que tão bem tem promovido o Algarve, tem igualmente sido palco de excelentes concertos, amizades, encontros e confraternização entre os amantes das duas rodas e não só.


A todos enceta o Confessionário votos de excelente Concentração e condução cuidada e diligente. Não se esqueçam que o melhor que existe nas motas é o regresso são e seguro ao porto de abrigo.


Boa viagem a todos os motards e cautelas na estrada.

Luís Miguel Martins

terça-feira, 12 de julho de 2011

Câmara Portimão retira Apoio Social

Aquando as últimas eleições autárquicas, se os mais atentos ainda se recordam, entre várias medidas sociais apresentadas pelo Partido Social Democrata estava a isenção de pagamento aquando a utilização do vai e Vem pelos mais carenciados e dos jovens estudantes do 1.º ciclo.

O regime vigente, optou logo, em jeito de promoção, por isentar a utilização plena dos jovens do 1.º e 2.º ciclo de forma indiscriminada, o que originou não só desigualdade social, mas um despesismo desnecessário e insuportável por parte do Município de Portimão. Na devida altura o Partido Social Democrata alertou que tal seria insustentável e levaria à ruína das carreiras.


O regime vigente novamente, tal como a “insolvência” do Município, prontificou-se a negar tais afirmações e estudos e ainda se riu da oposição.


O Partido Social Democrata, avisou…


Amanhã, um ano e meio depois, será discutido em reunião de Câmara, proposta apresentada pelo Partido Socialista ( Poder Vigente ), em que perante a evidência e constatação da ruína das aludidas carreiras, propõem que se retire a utilização gratuita do vai e Vem dos jovens estudantes do 1.º e 2.º ciclo, com raríssimas excepções, subtraindo o apoio social aos afectivamente necessitados.


A proposta, diga-se a verdade mais justa socialmente e descriminando positivamente, irá conceder o passe social somente aos alunos que residam e disso façam prova a mais de 3 Km do estabelecimento escolar, beneficiando a 100% os alunos do escalão A e a 75% os alunos do escalão B. Outra alteração é que, ao invés dos anos anteriores ( o que originou abusos ) só será concedido um passe por ano a cada aluno.


No entanto, não pode deixar de ser dito, que esta redução no apoio social, ainda que efectivamente se traduza numa redução, traduz-se igualmente numa melhor justiça social, que o Partido Social Democrata já vinha alertando o Regime Vigente.


A vaidade e o autismo leva a que os justos paguem pelo pecador.


Luís Miguel Martins

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Marca “Sasha” procura-se…



Perdeu-se em Portimão conceituada e prestigiada marca de uma discoteca. Local de dança e de copos que custou a todos os Portimonenses cerca de 800.000,00 €.


A última vez que foi vista, a troco da módica quantia de cerca de 800.000.00, foi a entrar na gaveta de um dos administradores da Portimão Urbis E.M. O Verão já começou, as festas vêm ai e a edilidade local não sabe ou onde colocou a desaparecida marca ou o que fazer com ela, pois entregou o mesmo local à exploração de uma outra marca ignorando tão prestigiosa marca ( No mínimo confuso, não ??? )


A quem a encontrar é favor devolver à Portimão Urbis E.M, a troco de cerca de 800.000,00 €.

PS: Qualquer semelhança com a realidade é pura fantasia.

Luís Miguel Martins

Administração estratégica ou estratégia na Administração ?



Nos últimos tempos um assunto tem sido recorrente, seja nos jornais, empresas e interesses privados e até o próprio Presidente da República. Esse assunto é a suposta e alegada “ Incapacidade da Administração Pública”.


Vários são as fontes, origens e interesses que têm abordado a “Incapacidade da Administração Pública” e tudo numa perspectiva de que uma Administração Privada é melhor e muito mais económica que uma Administração Pública. Inclusivamente opinam experts que outrora foram gestores dos “nossos “ dinheiros públicos e tão maus e horrorosos resultados provocaram e agora na esfera privada obtém precisamente o oposto.


Bem… concordaria com tal entendimento se contemplasse o espelho da actuação da Administração Pública nos últimos 36 anos e quase de forma reiterada, tirando raríssimas excepções, abundam os exemplos de gestão negligente e até dolosa do erário público, pilhagem constante ao erário público sejam com PPP sejam com outro tipo de procedimentos, o engordar da Administração com “Boys” e “Girls” do cartão, irresponsabilizarão total e vergonhosa dos gestores dos nossos dinheiros públicos e isto por parte de todas as forçar partidárias que partilharam o poder nacional e local. Nesses termos, obrigatoriamente, terei que concordar que a Administração Privada é preferível a uma Administração Pública.


Mas…se os gestores dos “nossos” dinheiros públicos fossem responsabilizados pelos indignos resultados que apresentam, fossem responsabilizados não só pela gestão dolosa mas igualmente pela sua gestão negligente. Se os gestores dos “nossos” dinheiros públicos fossem efectivamente condenados a ressarcir o Estado das perdas provocadas e não sujeitos a uma “coima” de tostões perante prejuízos de milhões. Se os gestores dos “nossos” dinheiros públicos fossem directa e imediatamente responsabilizados a ressarcir o Estado perante a despesa desnecessária e supérflua. Se os gestores dos “nossos” dinheiros públicos fossem verdadeiramente fiscalizados pelo Tribunal de Contas e sujeitos a uma fiscalização concomitante, isto é durante, e não sujeitos a uma fiscalização a-posteriori por vezes passados anos de já terem abandonado o cargo.

A nossa Administração Pública carece urgentemente de uma real efectiva estratégia, para combater a estratégia de terceiros de querer Administrar os bens/serviços Públicos.

Nesses termos, teríamos motivos para acreditar na Administração Pública.


Eu acredito, veremos se os nossos decisores também acreditam.

Luís Miguel Martins

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Regime vigente continua a ocultar documentação à oposição e aos Portimonenses.



Regime Socialista em Portimão, um regime que não convive com o Estado de Direito Democrata.


Em 19 de Maio de 2011, Luís Miguel Martins, na qualidade de autarca eleito pelos e para os Portimonenses peticionou documentação e informação ao abrigo do Direito à Informação e do Direito à Oposição Constitucionalmente Consagrados.


É bom sublinhar, que o Estrado de Direito Democrata Português é um Estado assente na transparência e no direito da oposição ter acesso a toda ( sem excepção ) a documentação solicitada.


No entanto em Portimão, o regime vigente ainda que anda de fato e gravata e frequenta de forma assídua os templos, retratando falsamente um regime democrata, civilizado e sério a verdade é que na realidade é precisamente o oposto. O regime vigente ao melhor estilo do Estado Socialista de Hugo Chavez ou mesmo Fidel Castro não cumpre nem obedece à legalidade ignorando todos os princípios democratas bem como os direitos da oposição, isto é dos cidadãos.


O regime vigente não sabe, conviver com a transparência, ocultando da oposição e dos cidadãos Portimonenses todos os factos/documentos/informação.


Nesses termos foi peticionado em 19 de Maio determinada documentação/informação. Determinando a lei que o Regime vigente detinha um prazo de 10 dias úteis para fornecer a referida documentação, a verdade é que passados 36 dias após o prazo legalmente estabelecido ou se quiserem 50 dias após solicitado o regime ainda não se dignou a disponibilizar a informação/documentação que está obrigado a fornecer.


A verdade meus amigos é que este regime corrosivo, impregnado de vírus e condutas antidemocratas, não pode continuar a administrar os destinos do Município de Portimão. BASTA.

Luís Miguel Martins

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Ajuste Directo leva ano e meio a ser publicado …



Ajustes Directos não param em Portimão, vejam mais este lindo exemplo.

Município de Portimão contratou a sociedade Hugo Raposo arquitectos, Lda ( ao menos esta é de Portimão ) em 26.11.2009, pelo valor de 24.450,00 €, por um período de 40 dias, ou seja até 07 de Fevereiro de 2010.


O curioso é que só foi publicado no site dos Ajustes Directos em 05.07.2011, isto é um ano e 6 meses depois … curioso não.


Mas curiosidades à parte, porque motivo não opta o Município de Portimão por procedimentos mais transparentes e democratas, permitindo dessa forma todos os arquitectos de Portimão participar no referido procedimentos.


Portimão é de todos e não podemos admitir que uns sejam filhos e outros enteados.

Confirme em : http://www.base.gov.pt/_layouts/ccp/AjusteDirecto/Detail.aspx?idAjusteDirecto=112923&lk=srch

Luís Miguel Martins

Assalto à EMARP

Depois de colocarem o Município de Portimão na bancarrota e de falirem a Urbis E.M, eis que agora o poder vigente prepara-se para fazer o mesmo à única empresa municipal solvente, a EMARP.


O poder vigente, cujos tentáculos também se encontram na administração da EMARP, conseguiu que o conselho de administração da EMARP aprovasse em 05 de Julho de 2011 por unanimidade uma proposta de aquisição de um equipamento, património imobiliário, imagine-se que usufrui de forma gratuita….


Ou seja, a EMARP farta de utilizar determinado equipamento de forma gratuita, avança com uma proposta de aquisição á Câmara, proposta essa sem preço. No mínimo é caso único no mundo.


Sabe o Confessionário de Portimão, por portas e travessas que essa é a única forma encontrada pelo poder vigente de se financiar, pois a banca já lhes fechou as portas e janelas , e nesses termos existir dinheiro para salários, pois ao que parece também esse já acabou. Segundo fonte interna, a Câmara irá pedir cerca de 4.000.000,00 € pelo respectivo equipamento.


É entendimento do Confessionário de Portimão que tal deliberação tomada de forma unânime pelo conselho de administração da EMARP não é somente ridícula, como DOLOSA para a própria empresa. A demissão é o único caminho para quem assim deliberou.


Mas meus amigos…isto não fica por aqui… em breve…muito em serão publicadas novas informações.


PS: Publica em anexo deliberação do conselho de administração


Luís Miguel Martins

terça-feira, 5 de julho de 2011

Vem ai a “ MUSULBAR"

O projecto levado a cabo pelo Município de Portimão que vai dar origem a mais uma Associação e mais 13 lugares para Boys.



Quando o Município de Portimão já com mais de 1000 funcionários, não contabilizando com os cerca de 500 do sector empresarial autárquico, sente necessidade de empregar mais 13 Boys para levar a cabo o afundamento de 4 barcos, perguntar-se-á então para quê tantos funcionários ?



Esta é a questão que tanto tem incomodo os Socialistas, ainda que antigamente alguns defendessem outras ideologias. Hoje em dia defendem a ideologia do “patronato” do “emprego”, são aquilo que designo de vencidos mas assalariados, sem convicção nem personalidade, a não ser a de salvaguardar o seu vencimento.



Em tempo de crise, com um Município falido e na bancarrota os Socialistas arranjam forma de através da criação das suas já conhecidas Associações empregarem os seus Boys, ainda que seja à custa de todos, mas isso não importa, o importante é empregar Boys/Girls rosas.



Verdade diga-se se o processo não for extremamente dispendioso, nocivo para o meio ambiente, fauna marítima, parece-me efectivamente um bom projecto. Mas criar mais uma Associação e contratar mais 13 Boys com tantos técnicos já assalariados, isso NÃO…



Luís Miguel Martins

Concorrência desleal...

Concorda que o Município de Portimão concorra directamente com a actividade privada, nomeadamente com as discotecas e bares da Praia da Rocha, com a versão II do Sasha - Meo Spot Summer Sessions 2011 ?


O Confessionário de Portimão é totalmente contra a concorrência, desleal diga-se a verdade, que o Município de Portimão nas pessoas do executivo Socialista tem feito nos últimos anos, em pleno Verão, aos empresários da diversão nocturna.

O erário público deverá ser despendido somente onde é preciso e sempre na prossecução dos interesses da colectiva.


Promover Portimão SIM. Mas despender o erário público em copos, estadias, bares/discotecas e DJ NÃO.

Luís Miguel Martins

Meo Spot Summer Sessions 2011 a nova discoteca “pública” de Portimão

Em pleno Verão, no pico da enchente turística o Executivo Socialista de Portimão prepara-se para fazer novamente frente aos empresários da indústria da diversão nocturna na Praia da Rocha.


Depois da enorme e longa travessia no deserto do inverno, quando os empresários Portimonenses da diversão nocturna preparam-se para colher os seus louros e o sustento para mais um inverno, eis que o poder vigente, mais uma vez, vai concorrer directamente com os privados.


Entende o Confessionário de Portimão que o poder vigente, além do Município de Portimão se encontrar na bancarrota, deveria despender o erário público no verdadeiramente essencial, na prossecução dos reais interesses da colectividade e não em copos, festas e dj.


Um Município que não honra seus compromissos com fornecedores/credores, mas que tem dinheiro para andar na festa é um Município que dá um claro exemplo do que é um péssimo pai de família.


Luís Miguel Martins

Município falido vende-se património a retalho.

Que o Município de Portimão encontra-se praticamente “falido”, fruto de uma gestão amadora irresponsável e desorientada por parte do poder vigente, isto é sem capacidade de cumprir seus compromissos com credores e fornecedores e quase sem dinheiro para pagar vencimentos aos seus funcionários não é novidade para ninguém.


Depois de muito se ter alertado e o executivo vigente desmentido o indesmentível, eis que finalmente assumiram a dura e real situação calamitosa em que se encontra as finanças do Município de Portimão.


Eis que perante o abismo, e sem projecto de saneamento financeiro (ainda) aprovado, outra solução não resulta senão a venda urgente de património a retalho.


Exemplo disso mesmo, foi a deliberação na passada Assembleia Municipal com os votos favoráveis do Partido Socialista que deliberou aprovar a venda de um imóvel do Município de Portimão sito na Av. Miguel Bombarda, por Ajuste Directo. O imóvel em causa é utilizado como creche jardim de infância e a sua venda sem o recurso a hasta Pública permite não só a entrada imediata de dinheiro nos vazios cofres do Município de Portimão, mas permite igualmente que a venda seja efectuada sem os Portimonenses terem uma única oportunidade de participarem no procedimento e apresentarem propostas.

Uma alienação de património sem o recurso à Hasta pública não permite a venda do imóvel pelo melhor preço oferecido lesando dessa forma os cofres do Município e permite vender ao “amigo”.


Mais um exemplo de que Portimão não é para todos.

Luís Miguel Martins

segunda-feira, 4 de julho de 2011

E se de repente alguém lhe disser o “Sr(a). não presta”...



E se de repente alguém lhe disser o “Sr(a). não presta”...


Quais as qualidades que outrem terá que ter para qualificar o carácter, personalidade e feitos dos outros ? Pessoalmente entendo que ninguém está acima dos outros para produzir tal afirmação, nomeadamente se esse alguém tiver telhados de vidro.


Entendo e advogo que por mais em desacordo que estejamos com determina pessoa, por mais litígios que existam com terceiros, a elevação, postura e educação nunca pode nem deve ser abandonada, seja em que momento e lugar for. A elevação de um Homem não se mede pelo tamanho do fato, pelo carro que tem ou teve, mas sim pelas suas condutas, posturas e reacções.

Um Homem elevado é um Homem sensato, ponderado, educado e considerado. Um Homem elevado não pode dar-se ao “capricho” de desabafar, injuriar e ofender aqueles que com ele não concordam. Não devemos esquecer que as lutas nunca são pessoais nem nunca devem ser personalizadas, pois lutamos somente contra ideais e ideologias.


Tal como Jesus Cristo disse pregado à cruz a seu Pai “ Pai perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”. Também eu indulto todos os comentários menos elevados produzidos por uns, ou no mínimo ignoro-os.


Respeito, Dignidade, Elevação…

Luís Miguel Martins

Guia Turístico: Versão em idioma estrangeiro ainda não existe.

No inicio de Março do corrente ano o executivo Socialista em mais um acto de propaganda política do regime instalado, lançou com pompa e circunstância na feira da BTL o Guia Turístico de Portimão, que pretendia que fosse o espelho da realidade do concelho de Portimão, para os nossos turistas.


Em 17 de Março de 2011, o Confessionário de Portimão denunciou que o executivo Socialista tinha ignorado uma grande fatia dos nossos turistas. Tinha ignorado os turistas estrangeiros, não se dignando a produzir uma única versão em Inglês ( língua universal ) ou em qualquer outra língua que não fosse a de Camões.

Os mensageiros do regime prontificaram-se a escrever em diversos comentários no Facebook e nos jornais locais que uma versão em idioma estrangeiro seria posteriormente lançada, ainda recordo as palavras escritas do meu amigo Casimiro e daquele boy de nome…….. Bem adiante, mais uma mentira do regime.


Estamos em Julho, mais propriamente em dia 04 de Julho a época balnear já começou vai para um mês e a famosa versão em idioma estrangeiro do Guia Turístico ainda está por aparecer.


Será que com essas mentiras é que o executivo Socialista promove Portimão lá fora ??? Não, não me parece.


Portimão carece de ser promovido. Promovido para os de dentro e promovido para os de fora que anualmente nos visitam.

Luís Miguel Martins