Número total de visualizações de página

terça-feira, 31 de março de 2015

O Algarve espera uma enchente.

 

O Algarve espera uma enchente, neste período de Páscoa.
O excelente tempo que se espera, as praias maravilhosas, a serra única, a gastronomia, os equipamentos hoteleiros, de restauração e diversão nocturna e diurna, os preços, a segurança e tranquilidade, e particularmente a maneira a como os turistas são recebidos no maior centro turístico de Portugal, irão fazer com que cerca de meio milhão de turistas nos visitem neste período de Páscoa.
A expectativa traduz-se num incremento da taxa de ocupação na ordem dos 5% a 6%, fruto essencialmente dos turistas Lusitanos, Espanhóis e do mercado Britânico.
Que esta Páscoa, seja mais um momento de promoção e afirmação do Turismo Algarvio e de bons negócio para todos os operadores ligados ao turismo.
Eu por mim, esta Páscoa, faço questão de estar no Algarve …

 

Luís Miguel Martins

segunda-feira, 23 de março de 2015

Poema: Algarve





" ALGARVE

Peço-te, Algarve, que digas
Por que és terra feiticeira?

A graça das raparigas...
As flores d'amendoeira...
Os gracejos, as cantigas...
O trajar da montanheira...

Os bailaricos mandados
Com poesia brejeira...
Os doces aprimorados...
A suave medronheira...

Lendas... Mouras encantadas...
O encanto da cor trigueira
E as chaminés rendilhadas
Quem seria a bordadeira?..

Diz, Algarve, como tu és
Um amor p'ra a vida inteira!

Comer figos da figueira...
Os saborosos mariscos...
Cataplanas, que petiscos!
Tentação à bebedeira...

Nadar no mar ternura
O oceano é banheira...
Praias sem fim de lonjura
A areia é longa esteira...

O sol! O sol está despido
É um Deus à soalheira...
O luar dá-lhe um vestido
E sonhos por travesseira...

Simplesmente enfeitiçados
Os corações, os sentidos,
Há lindos olhos fechados
A ti, ALGARVE, rendidos! "

Poema: Manuel Ponce (Faro)


sexta-feira, 20 de março de 2015

Petição sobre Taxa Protecção Civil discutida na A. República





Serve a presente para comunicar que  a Senhora Deputada Paula Santos (PCP), Relatora da Petição 446/XII-4ªSolicita a imediata suspensão da cobrança da taxa municipal de proteção civil ”, agendou reunião para o próximo dia 25.MAR.15 às 14H00 na Assembleia da República, nos termos da lei de petições, para a audição sobre a petição.

Recordo que a petição em apreço representa um movimento cívico inédito em Portimão, tendo sido outorgada por milhares de Portimonenses.
 
Luís Miguel Martins

domingo, 8 de março de 2015

Videovigilância por onde andas ?



Corria o ano de 2011, quando o à data Presidente da Câmara Municipal de Portimão, Dr. Manuel da Luz disse, em conferência de imprensa no salão nobre da câmara, que pretendia reorganizar a segurança no concelho e ter preparados até ao Verão de 2011 os dossiers da videovigilância, Polícia Municipal e dos Guardas-Nocturnos.
 
Recordo que já em 2007 tinha sido elaborado um primeiro dossier de videovigilância para a zona da Praia da Rocha que infelizmente não foi aceite na totalidade pela Comissão Nacional de Protecção de Dados.
 
Hoje, em pleno mês de Março de 2015, ainda não existe videovigilância em Portimão.
Advogo que a videovigilância é deveras importante para Portimão, não só para prevenir, persuadir ou identificar situações de conflito, mas também, em termos psicológicos, para dar um sentimento de segurança às populações e visitantes.
Num concelho turístico como Portimão, a colocação de câmaras de videovigilância na zona da Praia da Rocha e centro de Portimão certamente traria um  maior sentimento de segurança que empresários, residentes, turistas e o próprio Turismo agradeceriam.
O tema pela sua importância, e efeitos que poderia causar, merece ser novamente alvo de debate e discussão.
Termos em que, provavelmente será altura de novamente se colocar o tema da videovigilância na agenda …

Luís Miguel Martins

quarta-feira, 4 de março de 2015

A incoerência do Regime

 
O PS/Portimão votou contra a proposta do PSD/Portimão que poderia levar a uma isenção fiscal parcial  de IMI dos agregados familiares Portimonenses com residência própria e permanente e pelo menos um dependente.
 
A proposta final do PSD/Portimão propunha:
 
a) Levantamento de estudo de impacto social, de forma a aferir quantas famílias portimonenses poderão beneficiar desta redução excepcional de IMI;
 b) Levantamento de estudo de previsão de aumento da receita de IMI para 2015;
 c) Que o estudo seja remetido para os partidos com assento na Assembleia até Agosto, pois o orçamento de 2016 por força legal será discutido em Setembro de 2015.
 
Acresce que:
Além da bancada do PS ter votado contra a proposta apresentada pelo PSD, a bancada Socialista na pessoa do seu líder reconheceu mérito e oportunidade à mesma proposta que votaram contra e mencionou que iriam propor à Sra. Presidente de Câmara que avance com o estudo proposto.

 
Votam contra, mas reconhecem mérito …
 
Votam contra, mas propõem à Sra. Presidente que avance com a mesma …
 
A incoerência é total
Resumindo a posição do Regime é: Não, Sim, Talvez

Luís Miguel Martins

terça-feira, 3 de março de 2015

PS/Portimão diz NÃO a possível redução IMI



No passado dia 26 de Fevereiro, aquando a Sessão ordinária da Assembleia Municipal, o PSD/Portimão apresentou uma proposta séria e oportuna que poderia levar a uma isenção fiscal parcial  de IMI dos agregados familiares Portimonenses com residência própria e permanente e pelo menos um dependente.
 
Lembre-se que a referida proposta, é a única prevista no Orçamento de Estado de 2015 que poderia beneficiar os Portimonenses, reduzindo-lhes o esforço fiscal, fomentando a natalidade e a fixação das populações nas suas terras.
 
A proposta do PSD/Portimão propunha:
 
a) Levantamento de estudo de impacto social, de forma a aferir quantas famílias portimonenses poderão beneficiar desta redução excepcional de IMI;
 b) Levantamento de estudo de previsão de aumento da receita de IMI para 2015;
 c) Deliberar, após estudo produzidos, para ser remetido à Assembleia Municipal, de proposta de redução de IMI para agregados familiares com 1, 2, 3 ou mais dependentes;

 
Posteriormente, no decurso do debate alterou a alínea c) para: Que o estudo seja remetido para os partidos com assento na Assembleia até Agosto, pois o orçamento de 2016 por força legal será discutido em Setembro de 2015.
 
O Regime Socialista de forma cega deliberou contra a mesma e disse não…
 
O Regime não quer que os Portimonenses tenham acesso a um estudo, elaborado pela Câmara, que identifique expressamente quantas famílias em Portimão poderiam beneficiar desta isenção excepcional, sendo que de acordo com o último relatório social mais de 2000 famílias em Portimão seriam contempladas,

 
Muito menos quer o Regime que os Portimonenses saibam qual o aumento da receita de IMI para 2015 onde é expectável que a mesma seja bastante considerável designadamente após o fim da Cláusula de Salvaguarda do IMI, isto depois de no ano de 2014 a receita de IMI ter subido cerca de 2 Milhões de euros, fruto das reavaliações tributárias.
Caso para dizer que o Regime preocupa-se unicamente com o seu bolso e não com o bolso das famílias Portimonenses.

Luís Miguel Martins