Número total de visualizações de página

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Contra as Portagens os Algarvios têm que se unir e elevar a “nossa” voz


Portagens serão colocadas na Via do Infante daqui a 50 dias.


A tentativa civilizada de se negociar com o Governo do Sr. José Sócrates foi infrutífera e frustrante. Não se consegue, como nunca se conseguirá negociar com um ditador.


O Algarve, a AMAL, os movimentos cívicos e os líderes políticos das diversas Autarquias Algarvias não conseguiram persuadir o Governo a não colocarem portagens na Via do Infante ainda que não exista alternativa viável e a único hipótese é designada de “Estrada da Morte”.


Tentaram as estruturas supra referidas negociar de forma civilizada com o Governo do Sr. José Sócrates, ignorando que os ditadores não negoceiam mas sim impõem a sua vontade, nem que seja pela força.


O Algarve que tão mal tratado tem sido neste últimos 36 anos pelo poder centralizado de Lisboa e pelos sucessivos Governos, prepara-se para sofrer danos irreparáveis e provavelmente irrecuperáveis.


Nós os Algarvios, quer sejamos Algarvios de nascença ou simples cidadãos que escolheram esta linda e nobre terra para viver, criar família e educar seus filhos não podemos permitir que o poder centralizado e “ditatorial” do Governo de Lisboa causa ferida quase mortal ao nosso querido Algarve.


Se com conversa, propostas, reuniões e discussões não se chegou a lado nenhum, julgo ser a hora de os Algarvios de unirem, levantarem a voz ao poder “ditatorial” do Governo de Lisboa e manifestarmos pela ausência de portagens na Via do Infante.


O Algarve precisa de menos conversa e mais acção. Apelo à manifestação.

Luís Miguel Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário

Por motivos que se prendem com a falta de ligação entre os comentários e os Post colocados e outros, doravante todos os comentários serão previamente considerados.