Número total de visualizações de página

quarta-feira, 16 de março de 2011

Guia Turístico Portimão ignora turistas estrangeiros

O executivo do Município de Portimão, apresentou um Guia Turístico de Portimão, na passada feira da BTL.

De salientar que o referido Guia Turístico de Portimão foi adjudicado, pelo já nosso conhecido, Ajuste Directo à Global Notícias Publicações, S.A. e custou a módica quantia de 73.950,00 € aos bolsos dos Portimonenses.


Link:http://www.base.gov.pt/_layouts/ccp/AjusteDirecto/Detail.aspx?idAjusteDirecto=205503&lk=srch

Aquando a sua apresentação foi alegado pelo Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Portimão que “O Guia está virado para as várias fileiras de visitantes que nos procuram, pois encontra-se organizada por temas, ilustrados com belas e sugestivas imagens e constitui uma excelente fonte de inspiração para a marcação de férias ou uma simples escapadinha de fim-de-semana”.


Mas a verdade é que o referido Guia Turístico ignora os turistas estrangeiros que visitam Portimão, não se vislumbrando ao longo das suas tão promovidas 185 páginas uma única expressão em língua Inglesa, Alemã, Francesa, Espanhola, Italiana ou outra.


Termos em que somos obrigados a afirmar que o Guia Turístico de Portimão ignora os turistas estrangeiros, colocando obviamente em causa os efeitos do mesmo junto dos turistas estrangeiros que visitam Portimão.

Amadorismo ou distracção ???

Luís Miguel Martins

6 comentários:

  1. Vai sair em Inglês e em Alemão. Apenas saiu em Português primeiro para ser apresentado na B.T.L., feira frequentada basicamente por Portugueses e Espanhòis.

    ResponderEliminar
  2. pois, pois... "Vai sair" agora que alguem pôs a boca no trombone... já agora aproveitam para facturar 73.950,00 euros (mais uma vez).

    Já agora...

    a Câmara de Portimão e as suas empresas municipais não dispõem de ninguém com competência para elaborar este documento? É que pessoal não falta...

    Sempre se poupava algum $$$ neste tempo de vacas magrissimas.

    das duas uma: ou o município externaliza a maioria das suas funções (e nesse caso reduz o numero de funcionarios) ou aproveita aqueles que lá tem (tambem lá os tem, e muitos deles bons) e rentabiliza o seu capital humano, reduzindo custos e encargos com esse "senhor" malfadado Ajuste Directo "duma figa"

    Anónimo (porque nestes tempos é preciso cuidado com a propria sombra)...

    ResponderEliminar
  3. Sim. funcionalismo não falta, sobretudo nas empresas municipais.

    um caso interessante que ouvi falar num outro "confessionário" parece ser o de uma senhora que trabalhava noutro serviço publico, daqueles que dão muitos subsidios (especialmente aos "profissionais da pedincha", daqueles que só andam de carrinha mercedes, se é que me entendem...) e desde há uns tempos está numa posição elevada na area dos "eventos" numa empresa municipal portimonense...

    Será que é por ter relevante experiencia e formação nessa área ou será que por ser esposa do senhor "s. clara"?

    fiquei a pensar sobre isto...

    ResponderEliminar
  4. este anónimo refere um caso interessante.

    mais um, nesta cidade cheia de paradigmas.

    nesse particular, não foi preciso sequer concurso para entrar. bastou um telefonema para o ex-chefe da senhora. esse ex-chefe agora está noutro sitio...

    não. não foi necessário concurso!

    isso é só para quem conclui a licenciatura ou curso de formação e procura um trabalho para ganhar a vida.

    estas pessoas importantes só têm empregos. empregos publicos.

    trabalhos... não se lhe conhecem...

    nesse caso particular, "the million dollar question" é:
    - "porque é que essa pessoa saiu de onde estava?"

    ... mistério...

    e o "consorte" é "s. claro" ou "s. branco"?????

    ResponderEliminar
  5. Que pena os anónimos não terem coragem de dar a cara para sabermos quem faz as críticas. Se calhar também estão mamando nalguma teta, nem que seja na do sogro ou na da sogra.

    ResponderEliminar
  6. O problema, José, é que a Mafia está em todo o lado. As instituições da Justiça Portuguesa estão afogadas em subfinanciamentos (lembro que já nem têm toner) e lutas intestinas. Virá a hora em que daremos a cara... Talvez num novo "25 de Abril", mas desta vez sem flores, porque vai ser motivado pela fome... quanto a tetas, só o José é que sabe do que fala! Eu sou mais uma "migrante" na Europa! Estranho apenas não se perguntar "como e porquê" são distrubuídos tantos cargos públicos (perfeitamente dispensáveis, diga-se) a tanta gente sem qualidade!!!! Será porque está agarrado a alguma delas?

    ResponderEliminar

Por motivos que se prendem com a falta de ligação entre os comentários e os Post colocados e outros, doravante todos os comentários serão previamente considerados.